sábado, 2 de maio de 2015

8 hábitos tecnológicos indesejáveis que você precisa quebrar imediatamente


Eles estão destruindo sua produtividade, arruinando sua saúde e talvez até mesmo  fazendo você ficar irritadiço.
Um mau hábito tecnológico pode ser imediatamente detectado quando se nota alguém o praticando. Depois de trabalhar muitos anos como um profissional do conhecimento, podem ser desenvolvidos, involuntariamente, algumas rotinas decorrentes desta jornada de trabalho. Elas podem ser difíceis de quebrar, mas elas também podem estar interferindo com a sua produtividade, prejudicando a sua saúde e tornando-o um rabugento quando se trata de suas interações sociais diárias. Aqui estão alguns maus hábitos que podem ser facilmente identificados na maior parte dos casos. Analise se você tem estes maus hábitos também e procure eliminá-los.
1. Clicar em atualizar o seu e-mail constantemente
Aqui está um hábito que deve ser observado com cuidado. Quando estamos esperando um e-mail importante, está tudo bem atualizar a caixa de entrada com frequência. Ou seja, quando se está esperando o recebimento de um e-mail para orientar os próximos passos a serem dados em um trabalho que está sendo realizado, ou para o agendamento de uma próxima reunião, ou algo de importância que está sendo aguardado. Toda vez que clicamos para atualização de nossa caixa de entrada, sem motivo definido, estamos perdendo tempo. Os e-mails que tivermos que receber chegarão de qualquer forma e a qualquer tempo. É importante lembrar que alguns programas de e-mail permitem que seja feita uma programação prévia para o intervalo de tempo em que a caixa de entrada deve ser atualizada. Portanto, se programada adequadamente a atualização, não há porque nos preocuparmos. É melhor e mais produtivo continuar a trabalhar em outras tarefas e verificar os e-mails em intervalos regulares. Em seguida, processe os e-mails de uma só vez.
2. Sentar muito perto da tela
À medida que vamos ficando mais velhos notamos uma tendência para nos sentarmos mais perto da tela. Podemos nos defrontar com  fato de estarmos lendo um texto que está começando a parecer menor e menor a cada dia que passa. O problema pode estar no não uso de uma cadeira ergonomicamente projetada para o fim que preciso. A melhor posição é sentar-se em linha reta enquanto em frente ao computador, com boa postura; fazendo um ângulo reto entre o tronco e as pernas. Felizmente, há uma solução simples. Os computadores modernos utilizam telas com alta resolução incrível. Também, na maioria dos navegadores, procure uma configuração do menu para fazer zoom na página. Problema resolvido.
3. Comer enquanto você trabalha em um computador
Podemos ser um laborioso trabalhador em frente ao computador, com altos índices de produtividade, processando e-mails com precisão de um raio. Por que quebrar esse impulso para algo tão trivial como comer um sanduíche? Bem, além de quaisquer preocupações sobre limpeza na mesa de trabalho ou com a má postura, que frequentemente adotamos para limpar aquela comida no canto da boca rapidamente, o efeito mais prejudicial é que não comemos com outras pessoas. Tenha disposição para fazer uma pausa de 15 minutos e ir até à sala de descanso (chamada assim por uma razão muito óbvia). Vá e encontre alguém com quem é possível um bate-papo sobre algo interessante. Em seguida, volte a tocar seu trabalho. O tempo que você gasta comendo uma refeição a sério vai promover melhor produtividade o resto do dia e dar-lhe um impulso adequado.
4. Postar nas redes sociais só si
Via de regra as pessoas têm este mau hábito. Elas tendem a ver as redes sociais como ferramenta para promover o seu trabalho, mas se esquecem que as redes sociais são chamados assim por um único motivo. Não aplique com frequência o mau hábito de só postar sobre o próprio trabalho. Quebre esse hábito e comente sobre as realizações dos outros, desenvolva esse esforço e tenha mais conversas cara a cara. Elas vão aprofundar suas relações, ao invés de torná-las tão unilateral.
5. Deixar a bagunça vencer
A bagunça na mesa de trabalho pode interferir na produtividade. Um mau hábito é deixar esta bagunça se acumular porque você está trabalhando muito atentamente em um projeto. A bagunça em uma mesa de trabalho tende a assustar a quem a vê, o que leva a uma sensação de distração e de desorganização. Não quer dizer que a mesa deve permanecer completamente livre de bugigangas, mas é bom desenvolver o hábito de remover as coisas quando eles começam a se acumular em demasia. Isto permite que seja possível pensar com mais clareza sobre o trabalho que está sendo executado.
6. Ouvir música muito alta
Os fones de ouvido não são feitos para receber sons tão altos como os do Radiohead ou de Bruce Springsteen. Pode ter sido desenvolvido o mau hábito ao longo dos anos aumentando o volume de dia para dia, de mês a mês, para se bloquear de distrações do ambiente de trabalho, mas os ouvidos não ficam felizes com isso. Pode-se obter em um volume menor, especialmente se forem usados fones de ouvido antirruído que reduzem o ruído de fundo.
7. Usar o monitor no mais alto nível de brilho
Ter o computador, laptop e tablet (para não mencionar o smartphone) no mais alto nível de brilho, pode tornar mais fácil para ler o texto. O problema é que ter esta gritante tela brilhando no rosto por todo dia, pode estar matando a vida da bateria dos dispositivos. Ajustar o brilho para menos, até um quarto, pode economizar um pouco da bateria e assim possibilitar um tempo maior de uso do dispositivo. Se todos os profissionais do conhecimento fizessem isto diariamente, estariam contribuindo decisivamente para salvar o planeta.
8. Verificar o e-mail nas últimas horas da noite
Falando de brilho da tela: isso também está causando problemas, quando se trabalha à noite. Muitas pessoas têm a tendência de verificar e-mail uma última vez antes de dormir, mas a luz da tela é como um show de luzes de Las Vegas. Nossos cérebros não entendem muito bem o que está acontecendo, então podemos ficar acordados. Tente desligar seus dispositivos muito tempo antes de dormir e apenas desfrute deste tempo com a família.

Referência: Inc.com - John Brandon

Meu canal de slides