quinta-feira, 26 de março de 2015

Um texto bem elaborado pode construir autoridade para sua marca


Neste artigo você vai aprender ...
  • Como ser coerente com o seu tom de voz
  • Como a emoção pode ajudar a melhorar a sua autoridade
  • Manter o diálogo não significa ser profissional

Quando você torna sua marca reconhecida como uma autoridade, você avança nos negócios, tanto para produtos, como para serviços em seu setor; você pode ser mais seletivo com relação aos clientes, e pode cobrar taxas mais elevadas que reflitam os seus conhecimentos.
Quando ouvimos a expressão "autoridade da marca", geralmente pensamos em relações públicas,  marketing online ou offline, falar em público, escrever livros, ser entrevistado. Dar atenção ao que você diz é, sem dúvida, importante, mas muitas vezes a forma como você diz é que estabelece a sua verdadeira credibilidade como autoridade com sua marca.
Ao seguir estes quatro passos, você vai descobrir o quão eficaz seus direitos autorais podem representar na construção da autoridade da sua marca.
1. Seja consistente em seu tom de voz
Todas as empresas têm um certo tom de voz. Você vai ouvi-lo nos materiais de marketing, blogs, vídeos do YouTube e mensagens na mídia social. A maneira como as empresas "conversam" pode determinar se os outros querem fazer negócios com elas, e é por isso que as empresas devem estabelecer o tom de voz correto e mantê-lo consistente.

Consistência em tom de voz gera familiaridade, que por sua vez cria confiança e, finalmente, a autoridade da marca. Aqui estão três dicas para garantir que você mantenha o tom de sua marca de voz consistente:
  1. Define-o. Como você quer retratar a sua voz para o seu público? Você é uma empresa de ponta, capaz de focar na obtenção de resultados? Ou você é uma nova startup pensando em agitar a sua indústria?
  2. Possua-o. Uma vez que você saiba como você quer que sua marca soe, tome posse dele usando esse tom em todos os seus materiais de marketing.
  3. Incentive-o. Crie um guia de estilo e distribua-o para todos os seus redatores e editores para que todo mundo siga as mesmas diretrizes. Você também pode fornecê-lo a agências externas que estejam trabalhando para você, assim como para aqueles que queiram postar como convidados em seu blog.
2. Faça-o cada vez mais, emocional
A maioria das pessoas pensam que podem decidir com quem fazer negócios com base na razão e na lógica. Embora o pensamento racional não tenha influência sobre as nossas decisões, nossas emoções, finalmente, definem o caminho.
Pesquisas sugerem que as respostas emocionais a um trecho de um texto tem mais influência sobre as nossas decisões do que o conteúdo real do texto em si . De fato, na publicidade impressa, nós somos duas vezes mais propensos a comprar de uma marca que apela para as nossas emoções do que daquelas que não o fazem.
As três etapas a seguir podem ajudar a garantir que você tire o máximo de emoção em seus direitos autorais para estabelecer sua autoridade de marca:
  1. Utilize gatilhos emocionais. Procure atingir o centro de coração de seus clientes, apelando para as suas emoções mais fortes e procurando atingir as necessidades e desejo deles. Algumas de nossas emoções mais fortes são de valor, confiança, medo, culpa, competição, pertença, e prazer.
  2. Use manchetes intrigantes. Cada anúncio de sucesso, artigo, blog, e-mail começa com um título forte. Pense sobre quais palavras vão incentivar o público a ler e a ficar preso ao conteúdo de seu texto.
  3. Inclua uma chamada à ação. Tendo construído toda aquela emoção, você vai querer dirigir seus clientes para cumprir uma ação específica que você quer eles façam, qual seja, fazer uma compra ou subscrição de um boletim informativo.
3. Mantenha um estilo de conversação
Construir a autoridade de sua marca envolve um certo profissionalismo, mas isso não significa que seu texto precisa ser cheio de frases cansativas e palavras obscuras. Se você quer se destacar da multidão, o seu texto precisa falar com as pessoas de uma forma que eles possam se relacionar com você.
Ao elaborar o seu texto, escreva da forma como você falaria com um amigo diretamente e destaque os principais pontos de sua mensagem. Você pode manter sua conversação, seguindo estas três dicas:
  1. Leia seu texto em voz alta. Ouvir sua voz falando sobre seu texto pode ajudá-lo a reconhecer as eventuais deficiências, incluindo um tom incorreto da voz ou uma estrutura confusa.
  2. Use frases curtas. Quanto menor a frase, mais legível o texto. Se você pode dizer o que deseja em uma frase, por que usar três?
  3. Uma ideia de cada vez. Manter cada ponto que você quer enfatizar no espaço de um parágrafo ajuda a transmitir  suas mensagens de forma mais clara e faz o seu texto mais digerível.
4. Faça com que pareça fácil
Pense em como as marcas mais bem sucedidas se apresentam ao público. Será que eles fazem questão de constantemente lhes dizer o quão duro eles trabalham para se tornarem uma empresa confiável?
As marcas mais bem sucedidas fazem com que pareça fácil. Sem dúvida um grande esforço se passa por trás das cenas, mas o público vê apenas o produto acabado, apresentado de uma forma aparentemente sem esforço.
Se a sua marca aparece para o público como forçada, demasiadamente voltada para a venda, ou complicada, você vai verificar que é difícil atrair o tipo de lealdade do cliente que as marcas de autoridade já têm. As três ações a seguir podem ajudá-lo a fazer a sua redação parecer fácil:
  1. Use pontos e listas numeradas. Quebrar o seu texto em pequenos pedaços digeríveis é uma maneira infalível para simplificar a mensagem da marca. As pessoas são automaticamente atraídas para textos que se destacam em uma única página.
  2. Comece com uma linha de abertura forte. Use a primeira linha em seu texto para fazer uma declaração ousada, que mostre a seus leitores que você sabe o que está falando.
  3. Termine com um resumo. Resumindo os pedaços de informação mais importantes no final de seu texto pode ajudar a fortalecer o seu conteúdo. Um resumo ao final também dá às pessoas uma oportunidade para refletir sobre o que acabou de ler.
Embora seguindo todas essas dicas sobre como escrever seu texto vá certamente melhorar a autoridade de sua marca, tenha em mente que muitas vezes uma única coisa pode diferenciar uma marca da concorrência. E se isso significa quebrar algumas das "regras" de elaboração de textos. Boa sorte!

Referência: Marketing Proofs

quarta-feira, 25 de março de 2015

Faça uma caminhada difícil, intercale com uma caminhada fácil. Repita


Fazer exercícios no estilo intervalado - breves períodos de exercícios muito difíceis interrompidos por períodos de recuperação - tem mostrado que a saúde e a silhueta das pessoas que se exercitam assim, por apenas alguns minutos por semana, melhoram significativamente. Essa eficiência é sedutora, e este tipo de condicionamento tem ajudado a atrair a atenção da mídia nos últimos anos. Mas os programas de treinamento (ou de exercício) intervalado, de alta intensidade, não são para todos. Como apontam pesquisadores da Austrália e da Inglaterra na edição de dezembro de Frontiers in Psychology, "uma população sedentária" é improvável que "se sinta fisicamente capaz e suficientemente motivada para assumir e manter um regime de exercício altamente intenso". Essa dúvida é o que fez este assunto virar notícia fora do Japão, como uma forma muito menos punitiva, tornando o treinamento intervalado muito bem-vindo.
Uma década atrás, cientistas liderados pelo Dr. Hiroshi Nose na Escola de Pós-Graduação em Medicina da Universidade Shinshu, em Matsumoto, Japão, começaram a desenvolver programas de caminhada. Eles sabiam que a caminhada era fisicamente o exercício mais fácil (e também o mais prático) para aquelas pessoas na meia-idade e mais velhos, mas os pesquisadores suspeitavam que as pessoas poderiam precisar ser estimuladas para alcançar maiores benefícios para a saúde. Então, eles criaram um regime que consiste de três minutos de caminhada rápida, em um ritmo que Nose diz que se aproxima de 6 ou 7 em uma escala de esforço de 1 a 10. Cada três minutos de caminhada "um pouco pesada"  foi seguida por três minutos de um passear suave.
Em seu experimento original, cujos resultados foram publicados em 2007, caminhantes entre as idades de 44 e 78 anos completaram cinco conjuntos de intervalos, para um total de 30 minutos de caminhada, pelo menos, três vezes por semana. Um outro grupo separado, de voluntários mais velhos, andou em um ritmo moderado contínuo, o equivalente a cerca de 4 na mesma escala de esforço. Depois de cinco meses, a silhueta e a saúde do grupo moderado mais velho mal tinha melhorado. Os caminhantes com a prática da caminhada intervalada, no entanto, melhoraram significativamente a aptidão aeróbica, a força nas pernas e as medidas de pressão arterial.
Em seu último estudo, que saiu em dezembro no Journal of Applied Physiology, Nose e seus colegas relatam que a maioria dos participantes manteve o programa por muito tempo, após terminado o seu compromisso inicial de cinco meses. Dois anos mais tarde, quase 70 por cento dos caminhantes com quem os investigadores permaneceram em contato ainda estavam seguindo seu regime, pelo menos, três vezes por semana e tinham mantido ou melhorado os seus ganhos em saúde. Aqueles que pararam, muitas vezes citaram "questões familiares, de saúde e de trabalho", diz a Dra. Shizue Masuki, principal autora do novo estudo, mas eles raramente se queixaram da complexidade ou dificuldade do treinamento.
Portanto, aqueles que têm considerado o treinamento intervalado de alta intensidade, mas ficam apreensivos sobre suas demandas devem sair para uma caminhada. "Realizem o treinamento por 10 minutos pela manhã, 10 minutos no período da tarde e 10 minutos à noite," sugere Masuki. Três dias de exercício por semana é o melhor, mas se isso é muito desafiador, diz ela, "faça-o no fim de semana" e faça isso em dois dias. Ao fazê-lo, Masuki acrescenta, "pode ​​ter um efeito profundo sobre a regulação fisiológica".

Referência: Well Blogs - The New york Times

domingo, 22 de março de 2015

Por que o seu crédito na aposentadoria é mais importante do que você pensa


Você conferiu suas economias, e sua melhor estratégia para a reivindicação dos benefícios da Previdência Social, mas será que o seu crédito está de acordo com o que você precisa para a aposentadoria?  
Você pode pensar que, na aposentadoria - enquanto muitos estão sem rendimentos do trabalho assalariado - o crédito não é mais necessário. Assumindo que tudo vai acontecer exatamente de acordo com o plano, você pode até estar certo.
Mesmo se isso ocorrer, porém, você pode estar desprezando vantagens que poderia desfrutar,  se você tiver um bom crédito. Se você está pensando em viajar, por exemplo, você pode querer um cartão de recompensas que venha com um bônus de inscrição generoso, o que poderia render-lhe passagem aérea grátis. Ou talvez você poderia usar um cartão de recompensas de hotel que poderá oferecer-lhe noites gratuitas (ou uma noite adicional grátis). Incentivos como esses podem ajudar os rendimentos de uma aplicação em renda fixa, de modo a tornar tudo mais agradável. Você não é um viajante? Cartões de crédito podem ajudar o seu dinheiro esticar um pouco mais. E não importa qual seja sua idade, o uso de cartões de crédito dá-lhe proteções que não estão disponíveis quando você usa dinheiro ou cartões de débito.
A entrada para esse mundo de descontos e incentivos, porém, é um excelente crédito.
Nele, a saúde de seu crédito tem algo em comum com a sua saúde física: ela não é eterna. Para manter a saúde física você tem que se manter fazendo exercícios e comendo legumes; a saúde de seu crédito requer que você o use de vez em quando, se você quiser mantê-lo.
Caso você ache que precisa, principalmente, de uma boa pontuação de crédito, se você está planejando assumir dívidas, pense novamente. Recomendamos o pagamento do saldo, na íntegra, a cada mês - o que irá manter a classificação de sua dívida baixa, o que pode beneficiar a sua pontuação. Se você tem medo de esquecer o seu compromisso de pagamento a cada vencimento de seu cartão de crédito, você pode acessar sua conta online e pagar no mesmo dia que você acessar a conta. Dessa forma, o seu crédito permanecerá saudável e os benefícios ainda serão acumulados.
Se, responsavelmente, eliminar suas maiores dívidas deixam o seu saldo um pouco mais baixo do que o anterior, você pode, conscientemente, procurar formas de reconstruí-lo.  Você, provavelmente, pode não estar pensando em comprar sua primeira casa. Mas você pode querer ser capaz de tirar vantagem de brindes - eliminado taxas de bagagem despachada, obtendo seguro de carro alugado, por exemplo - inscrevendo-se em um plano de recompensas de seu cartão de crédito. Os cartões com as melhores recompensas normalmente exigem uma pontuação de crédito elevada.
Se a última vez que verificou a sua pontuação foi quando você aplicou em uma hipoteca ou empréstimo de carro, você está longe de estar sozinho. Mas verificar o seu crédito regularmente é um bom hábito para começar. Especialistas também recomendam verificar suas contas bancárias e de crédito regularmente. Além de permitir que você saiba como os credores o vêm, verificar pontuações e contas pode ajudar a descobrir um possível roubo de identidade ou fraude - e quanto mais cedo são detectados, melhor.

Referência: Abc News 

terça-feira, 10 de março de 2015

Já pensou quando perder seu emprego? O que fazer?


Matéria recém publicada no The New York Times mostra que os números relacionados com perda de emprego nos Estados Unidos são impressionantes: cerca de 1,7 milhões de pessoas, em média, perdem seus empregos a cada mês.
Esses números representam pouco mais de 1% da força de trabalho, mas mesmo assim eles ainda mostram o quão muitas pessoas enfrentam o tipo de agitação que acompanha a perda de um emprego ou uma aposentadoria forçada. Além do desgaste emocional, muitas pessoas se defrontam com decisões financeiras que, potencialmente, podem mudar suas vidas, incluindo a melhor forma de gerenciar todo o dinheiro que pode estar saindo de economias realizadas.
A mais recente coleção de empregadores que entraram pelo caminho de corte de custos visando a melhoria da rentabilidade inclui expoentes dos negócios americanos: American Express, EBay, Coca Cola, DreamWorks Animation, General Meals, Halliburton, IBM, United States Steel.
Muitos dos funcionários dessas organizações que saíram irão se confrontar com decisões financeiras semelhantes, sendo que algumas podem requerer atenção imediata, o que apenas amplifica os níveis de ansiedade. Que tipo de indenização tenho direito - e quanto tempo vai durar? Quais são as implicações fiscais? Eu tenho a sorte de ter uma pensão - mas como eu deveria levá-la? E o meu fundo de previdência?
"Há uma grande dose de estresse decorrente das decisões que eles precisam tomar agora e também sobre aquelas decisões que eles precisam tomar para o futuro.", disse Lisa Brown, uma reconhecida planejadora financeira da companhia Brightworth, uma empresa de consultoria em Atlanta ",
Ela disse que recebeu muitas consultas semelhantes de executivos e funcionários da Coca-Cola - que informou no mês passado que iria cortar até 1.800 postos de trabalho. Em função dessas consultas ela escreveu um guia só para eles, e que está postado no site da empresa.
Muitas das questões e problemas são universais, independentemente de onde você trabalha. Aqui estão alguns dos mais comuns, extraídos da matéria citada acima:
ANÁLISE INICIAL - Se você está sendo demitido (ou contemplado com um pacote adoçado o suficiente para encorajar você a sair), as questões mais prementes são, obviamente, com base na indenização proposta: será que qualquer dinheiro extra que você possa ganhar proveniente de algum tempo parcial que você disponha, será suficiente para você se aposentar alguns anos antes do previsto? Ou será que o que lhe for oferecido será suficiente para que você sente e fique esperando por uma boa oportunidade de um próximo trabalho? Qual o montante em dinheiro que você precisa para viver agora? E por quanto tempo você poderá aguentar, depois de sua demissão?
Se o empregador apresentar um acordo especial de indenização para você deixar o emprego no momento atual, primeiro você deve comparar a oferta apresentada com o quanto ganharia (incluindo benefícios) deixando o emprego mais tarde (na época planejada por você), quando você se aposentasse. Outro ponto a ser avaliado é o fato de em você não aceitando a oferta feita, quais seriam as suas chances de ser demitido de qualquer maneira?
Geralmente, há uma enormidade de letras miúdas para serem consideradas nas propostas e contratos, por isso não deixe de analisá-las com cuidado. Em alguns casos, uma demissão pode significar que você tem menos tempo para exercer suas opções de ações, por exemplo. Em outros casos, o pacote de demissão pode oferecer uma cobertura médica durante um longo período de tempo. Dependendo do seu nível de emprego, você também pode estar em posição de negociar esses detalhes, observam alguns consultores financeiros.
MAXIMIZAR A POUPANÇA FISCAL - As indenizações recebidas quando da demissão (ou acordo) geralmente estão sujeitas à retenção de importo sobre a renda na fonte. Mas receber uma indenização pode, em alguns casos, rapidamente levar um empregado a uma faixa mais elevada de recolhimento de imposto - especialmente se ela ocorrer no final do ano - e os impostos retidos podem ser tão elevados que não permitem uma sobra confortável.
Você pode ter economizado grandes partes de seus salários, constituindo uma poupança de emergência suficiente para viver por um tempo. Alternativamente, as pessoas casadas podem ter seus cônjuges conseguindo algum dinheiro para compensar qualquer indenização.
INDENIZAÇÃO - Isso é muitas vezes pago em uma única parcela na programação da empresa. Mas em se tratando de pagamento por volta do final do ano, consulte a empresa sobre a possibilidade de receber parte ou a totalidade do pagamento no início do próximo ano fiscal, quando você provavelmente estará ganhando menos dinheiro. Tenha um contador para fazer as contas (isto mesmo, contrate um) e reserve o dinheiro de sua indenização para cobrir eventuais taxas extras.
"Uma boa parte disto virá mais tarde sob a forma de imposto", disse Brown. "Quanto menos você paga em impostos, quanto mais você consegue se manter e a sua situação será melhor."
Como você usará sua indenização vai depender de suas circunstâncias, mas é provavelmente melhor mantê-la relativamente líquida até você descobrir o seu Plano B. Se você tem dinheiro suficiente para sustentá-lo até conseguir seu próximo trabalho ou sua aposentadoria, considere aplicar em investimentos conservadores (por exemplo, poupança), que garantam que você possa atingir seus objetivos mais rapidamente.
PENSÕES DE FUNDOS DE APOSENTADORIA - As pessoas que esperam continuar trabalhando podem adiar quaisquer grandes decisões de se valer da pensão do fundo de aposentadoria, por enquanto. Mas os indivíduos que decidem começar a utilizar o benefício terão de escolher se querem ter um montante fixo ou um pagamento de anuidade ao longo da vida. "Isso poderia ser a única grande decisão que afetaria seu fluxo de renda vitalícia", disse Brown.  

domingo, 8 de março de 2015

A nova forma de pensar sobre o tempo


Não se preocupe, você não pode fazer tudo ao mesmo tempo. Uma nova pesquisa diz que é melhor assim.

No final de 2010, a cofundadora da empresa Contently, Shane Snow, trabalhou intensamente para provar a viabilidade da plataforma de publicação on-line que a empresa criou. Mas, como Snow descobriu, manter uma semana de trabalho lotada, com uma programação completa para os sete dias, é quase impossível, e a exaustão aparece rapidamente. Então, em 2011, "nós estabelecemos uma regra "anti-herói" e começamos a forçar as pessoas a irem para casa às 6 ou 7 horas para dormir um pouco e viver um pouco", lembra. Diz ela que isto ajudou tanto pelo lado da moral da equipe, como trouxe novas energias para o trabalho.
Há toda uma biblioteca de livros sobre produtividade, como "168 Horas: You Have More Time Than You Think" e "The Trap Time", que trabalham com a noção de que você pode e deve fazer tudo. Uma ambição admirável - mas que cobra um alto preço. Um estudo divulgado em novembro pelo Journal of Occupational Health Psychology, "Please Respond ASAP: Workplace Telepressure and Employee Recovery", apresentou uma definição para a chamada telepressão, ou telestress: uma vontade desenfreada de responder e-mails relacionados com o trabalho, não importando quando eles são enviados. Manter constante uma conexão com o trabalho tem efeitos muito reais sobre a saúde. O estudo constatou que os empregados submetidos à telepressão apresentam um sono pior, um aumento de ausências ao trabalho e, como Snow descobriu, apresentam níveis mais elevados de esgotamento.
Tudo isso deu origem a uma nova escola de gestão do tempo, visando estabelecer quais seriam suas prioridades mais importantes, aquelas que o fazem se sentir bem, e eliminando todo o resto. "A noção equivocada de que você pode controlar o tempo e que, através da gestão você vai conseguir realizar uma tonelada de trabalho, tudo isto se cruza com sua lista de coisas a fazer e o faz viver esta vida sobre-humana que, realmente, apenas conduz as pessoas para a decepção e o fracasso", diz Brigid Schulte, autora do Overwhelmed: Work, Love, and Play When No One Has the Time (Oprimido: Trabalho, Amor, and Diversão Quando Ninguém Tem o Tempo). "O que você pode controlar são as suas prioridades e as suas expectativas do que você faz no tempo que tem."
Os empresários começaram a se dar conta sobre esta nova forma de pensar, impulsionados tanto pela experiência duramente conquistada, como por uma série de estudos revolucionários que identificam como trabalhamos melhor. Uma pesquisa recente conduzida pela professora da California University - em Irvine, Gloria Mark, descobriu que um trabalhador leva mais de 23 minutos para voltar ao trabalho que estava realizando, depois de se ver diante de uma interrupção, como, por exemplo, para participar de uma reunião - e isso levou Alexa von Tobel, CEO e fundadora da empresa Learn Vest, a ajustar sua agenda. Hoje, as reuniões de sua empresa raramente atingem 15 minutos. "Eu estabeleço a agenda das reuniões em blocos de no máximo 15 minutos, o que ajuda a manter reuniões focadas no ponto de interesse", diz ela. Ela também nunca agenda reuniões para uma segunda-feira, porque ela entende que é o dia mais produtivo.
Azita Ardakani, CEO e co-fundadora da agência de comunicação Lovesocial, com sede na cidade de Nova York, permite aos seus funcionários horários sob medida de acordo com os períodos quando eles funcionam melhor, observando que "a equipe criativa geralmente gera melhores resultados tarde da noite e não devem estar de volta ao trabalho antes das 09:00 horas da manhã". Seus funcionários são incentivados a não enviar e-mail para colegas e clientes nas noites e nos fins de semana. Tais mudanças deixam funcionários mais livres e permitem que as grandes ideias brotem. "Quando você promove um espaço onde os funcionários podem refletir sobre a natureza única de como eles funcionam melhor, e em seguida, coloca em parâmetros gerais e, mais importantes, a permissão para promover esse ar para respirar e criar, isso acarreta o acontecimento de coisas incríveis", diz ela.
Da mesma forma, Vynamic, uma consultoria de gestão de cuidados de saúde, na Filadélfia, exorta os funcionários a não enviar e-mails em fins de semana ou entre as dez horas da noite e as seis horas da manhã do dia seguinte - uma política que chama zzzMail. O fundador e CEO da Vynamic, Dan Calista, criou o zzzMail em 2012 depois que os funcionários se queixaram sobre o estresse, em uma pesquisa anual sobre engajamento.
Tal programação gera estresse. "É por isso que a meditação está em voga no mundo do trabalho", diz Snow, que começou a praticá-la seguindo a prática de seu assistente e visando conseguir trabalhar na Contently, ao mesmo tempo, em que produz as ideias finais para o fechamento de seu livro, Smartcuts: How Hackers, Innovators, and Icons Accelerate Success. "A meditação ajuda você a ser mais calmo e ter uma mente mais clara para se concentrar nas tarefas que são mais importantes." Que, por sinal, são, muitas vezes, muito menos do que você pensa.
Referência: Inc.com - Jill Krasny

Meu canal de slides