sexta-feira, 28 de novembro de 2014

5 frases comuns que criam dificuldades (e o que dizer em vez disso)


Substituindo expressões comuns no local de trabalho por alternativas mais poderosas você terá sucesso muito mais rápido.
As palavras têm poder. As coisas que você diz reforçam como você pensa, que por sua vez determinam o que você faz ou está disposto a fazer. As cinco expressões comuns apresentadas a seguir geram atitudes e crenças (em si mesmo e outros) que mostram falhas fáceis e o sucesso mais difícil.

1. "Eu estou tendo um dia ruim"

A diferença entre um dia bom e um dia ruim é, literalmente, tudo que está em sua cabeça. Todo dia tem surpresas, algumas agradáveis ​​e outras desagradáveis. O essencial é a forma como você lida com elas. Quando você está em um estado mental de descontração, você lida com as crises e as oportunidades igualmente, com graça e com desenvoltura. Se você está em um estado de não tanta engenhosidade mental, você se afunda diante do mais fácil dos desafios. Caracterizar o problema enfrentado como o "dia", cria uma falha de proporção maior do que a realidade porque 1) absolve-o de gerir as suas emoções, e 2) praticamente garante que o resto do seu dia vai continuar a ser o que disser, em vez de "ruim": "Eu não estou no meu melhor agora, mas eu estou trabalhando para chegar lá."

2. "Se eu tiver sorte, então ..."

Serenidade, é quando os eventos aparentemente aleatórios criam oportunidades incríveis, e eles de fato ocorrem e podem até mesmo proporcionar desastres inesperados. Atribuir à sorte ou ao destino, no entanto, faz com que o seu eventual sucesso se torne mais difícil de alcançar. O que é, é. O que acontece, acontece. Cada resultado tem múltiplas causas do mundo real. Enquanto você pode não ser capaz de perceber todas as causas ou antecipar todos os resultados, não existe vento favorável que esteja borrifando uma poeira de sorte aqui, mas não ali. Acreditar em "sorte" cria fracasso, porque: 1) isso fornece uma maneira fácil de fugir da responsabilidade por seus fracassos, e 2) o encoraja a confiar no sobrenatural, em vez de tomar as medidas necessárias para se tornar mais bem sucedido O que dizer em seu lugar: "O que mais eu posso fazer hoje para alcançar meu objetivo?"

3. "Estou estressado"

O termo estresse é originado da física, onde se define "a força média por unidade de área que algumas das partículas de um corpo exerce sobre uma partícula adjacente." Com demasiado stress, por exemplo, é a razão porque uma ponte entra em colapso. Os seres humanos, no entanto, não são pontes. O que acontece com eles não é como uma força impessoal aplicada a um objeto inanimado. Os seres humanos podem crescer, mudar e se adaptar às novas circunstâncias. Quando você diz: "Estou estressado", você está se identificando como um objeto de poder sobre o qual forças externas estão agindo. Essa atitude cria desamparo e, portanto, o fracasso. Você acaba em um "enfrentamento", em lugar de tomar medidas positivas. O que dizer em vez disso: "Eu estou dando um tempo antes de eu tomar outras medidas".

4. "As prioridades são ..."

A palavra prioridade implica singularidade. Várias prioridades é um oxímoro. Esta não é tergiversação semântica, porque se você tem mais de uma prioridade, você não tem ideia do que fazer primeiro. Em cada momento do tempo, há sempre algo mais importante do que tudo o que você poderia estar fazendo. Essa é a prioridade, e isso é o que você deve fazer - com toda a atenção. Ter mais de uma prioridade cria fracasso, porque você acaba mentalmente em multitarefa. Quando sua atenção está dividida entre múltiplas atividades, você não é tão eficaz como se você estiver focado na ação única que importa mais. O que dizer em vez disso:. "A prioridade imediata é ..."

5. "De quem é a culpa?"

Há alguns comportamentos humanos menos úteis do que apontar o dedo para os outros. O que é passado, é passado. O que é importante não é porque algo aconteceu, mas a forma de alcançar um melhor resultado no futuro. Isso não quer dizer que as pessoas não devem assumir a responsabilidade por suas ações. Assumir a responsabilidade, porém, é exatamente o oposto de apontar o dedo. Apontar o dedo cria uma falha porque 1) o mantém focado no passado, 2) cria ressentimento desnecessário, e 3) torna as pessoas com mais medo de correr riscos que, em vez de dizer: "Aqui está o que temos de fazer diferente da próxima vez ... "

Referência: Inc. 

domingo, 23 de novembro de 2014

Três decisões que vão mudar sua vida financeira


Não há nada pior do que uma pessoa rica que se apresenta cronicamente com raiva ou triste. Não há realmente nenhuma desculpa para isso, mas isto é um fenômeno que pode ser encontrado todos os dias. É o resultado de uma vida extremamente desequilibrada, com muita expectativa e avaliação insuficiente para o que está acontecendo de real.
Sem gratidão e apreço por tudo aquilo que já se possui, nunca será possível alcançar a verdadeira realização. Mas como cultivar este equilíbrio na vida? Qual é o ponto de realização, se a vida pessoal não tem equilíbrio?
Pessoas podem ser treinadas para a caminhada de vida, incluindo alguns dos mais poderosos homens e mulheres do planeta. Estes podem incluir presidentes de países, bem como proprietários de grandes ou pequenas empresas.
No entanto, praticamente em todas as situações as pessoas costumam tomar três principais decisões que ditam a qualidade de suas vidas.
Ao tomar essas decisões inconscientemente, a maioria das pessoas vai acabar ficando fora de forma fisicamente, exaustas emocionalmente e financeiramente muitas vezes estressadas. Mas essas decisões forem tomadas de forma consciente, o curso da vida pode mudar literalmente. Vejamos quais são essas decisões.

Decisão 1: escolher cuidadosamente o que focar

A cada momento, milhões de coisas disputam a atenção das pessoas. As pessoas podem se concentrar em coisas que estão acontecendo aqui e agora, ou sobre o que desejam criar no futuro. Ou podem mesmo, se concentrar no passado.
Para onde for o foco, a energia fluirá. Aquilo que for focado e o padrão estabelecido, moldará o resto da vida de cada pessoa.
Devemos considerar qual área deve receber a maior dose de concentração: o que já possuímos ou o que está faltando na vida?
As pessoas fatalmente pensam sobre esses dois lados da mesma moeda, quase que simultaneamente. Mas se examinarem, com cuidado, seus pensamentos habituais, poderão descobrir o quê consome a maior parte do tempo de cada um.
Em vez de nos concentrarmos naquilo que não temos e invejarmos aqueles que estão em melhor situação financeira, talvez devêssemos reconhecer que temos muito a agradecer, talvez algumas coisas que não tem nada a ver com dinheiro. Podemos ser gratos pela saúde que temos, pela família, pelos amigos, pelas oportunidades e pela mente.
Desenvolver o hábito de apreciar o que temos pode criar um novo nível de bem-estar e riqueza emocional. Mas a verdadeira questão é, as pessoas têm tempo para se sentir profundamente grato para com a sua mente, para com o seu corpo, para com o seu coração e para com a sua alma? É aí que a alegria, a felicidade e a realização podem ser encontradas.
Podemos também considerar um segundo padrão de foco que afeta a qualidade de vida de cada um: tendemos a nos concentrar mais no que é possível controlar ou no que não é possível?
Ao nos concentrarmos no que pode ser controlado, isto acarretará mais estresse na vida. Podemos influenciar muitos aspectos da vida, mas geralmente não podemos controlá-los.
Quando é adotado esse padrão de foco, o cérebro tem que tomar uma outra decisão:

Decisão 2: descobrir "o que significa isso tudo?"

Em última análise, o que sentimos sobre a vida não tem nada a ver com os eventos que ocorrem, ou com a condição financeira, ou com o que temos (ou não temos), ou seja, com cada coisa que acontece na vida. A qualidade de vida é controlada pelo significado que atribuímos a cada uma dessas coisas.
Na maioria das vezes não podemos estar conscientes do efeito daquilo que se passa na mente inconsciente, quando atribuimos significado a cada acontecimento da vida.
Quando acontece alguma coisa que perturba a vida (um acidente de carro, um problema de saúde, uma perda de emprego), a tendência será pensar que este é o fim, ou o começo?
Se alguma pessoa confronta outra, a primeira pessoa estará insultando a segunda, treinando a segunda, ou realmente cuidando desta segunda pessoa?
Poderia até mesmo ser questionado se um problema devastador que surge na vida de cada um, significa que Deus o está punindo ou o desafiando? Ou poderá ser considerado que este problema é uma dádiva de Deus?
A vida de cada pessoa toma o rumo que a pessoa faz por onde. Cada significado tem uma sensação, ou uma emoção, única e a qualidade de vida decorre de como esta pessoa vive emocionalmente.
Quando estamos em um grupo grande de pessoas e surge a pergunta: "Quantos de nós conhecemos alguém que toma antidepressivos e ainda está deprimido?" Normalmente, 85 por cento a 90 por cento das pessoas levantam suas mãos.
Como isso é possível? As drogas deveriam fazer as pessoas se sentirem melhor. É verdade, mas os antidepressivos vêm com etiquetas de advertência, de que pensamentos suicidas são um possível efeito colateral.
Mas não importa o quanto uma pessoa use estas drogas, se ela constantemente se concentra no fato daquilo que ela não pode controlar na vida e daquilo que está faltando; é a forma mais fácil de ela se desesperar. Ela estará construindo o modelo de que "a vida não vale a pena viver", que é um cocktail emocional que nenhum antidepressivo pode consistentemente superar.
No entanto, se essa mesma pessoa puder encontrar um novo significado para a vida, uma razão para viver ou uma crença de que tudo isso era para acontecer, então ela será mais forte do que qualquer coisa que já aconteceu com ela.
Quando as pessoas mudam seu foco habitual e os significados para cada coisa que acontece em suas vidas, não há limite para o quê sua vida pode se tornar. A mudança de foco e uma mudança de significado pode literalmente alterar a bioquímica de alguém em minutos.
Assim, as pessoas devem assumir o controle das situações vividas a cada momento e se lembrarem sempre: os significados das coisas são iguais à emoção e a emoção é igual a vida. Devemos escolher conscientemente e com sabedoria. Encontrar um significado crescente para cada coisa na vida ou seja, em qualquer caso, é importante crescer em seu sentido mais profundo, o que representará o sucesso a cada dia.
Depois de criar um significado importante em nossa mente, será criada uma emoção, e a emoção levará a um estado tal que permitirá tomar a terceira decisão:

Decisão 3: o que devemos fazer?

As ações que tomamos são poderosamente moldadas pelo estado emocional em que estamos. Se estamos com raiva, nos comportaremos de maneira muito diferente do que se estivéssemos nos sentindo brincalhão ou ultrajante.
Se queremos moldar nossas ações, a maneira mais rápida é mudar o que focamos e, portanto, mudar o significado para algo mais poderoso.
Duas pessoas que estão com raiva vão se comportar de forma diferente. Algumas puxam para trás. Outras empurram para a frente.
Alguns indivíduos expressam a raiva em silêncio. Outros o fazem em voz alta ou violentamente. No entanto, outros aguardam o momento exato para procurar uma oportunidade passivo-agressivo e recuperar a vantagem ou mesmo a vingança.
De onde é que esses padrões vêm? As pessoas tendem a modelar o seu comportamento em relação àqueles que respeitem, desfrutam e amam.
Existem pessoas que nos frustram ou nos irritam? Muitas vezes rejeitamos as suas abordagens.
No entanto, demasiadas vezes podemos nos encontrar mudando os padrões que construimos em nossa juventude e que nos incomodavam um tanto.
É muito útil para as pessoas se tornarem conscientes de seus padrões quando  estão frustradas, irritadas ou tristes ou se sentindo solitários. As pessoas não podem mudar seus padrões, se não estão cientes deles.
À medida que nos sentimos cientes do poder destas três decisões, podemos começar a procurar os modelos que nos permitirão experimentar o que queremos da vida. Com certeza aqueles que têm relacionamentos apaixonados têm um enfoque totalmente diferente e chegam a significados totalmente diferentes para os desafios nos relacionamentos do que as pessoas que estão constantemente brigando ou lutando.
Esta não é uma ciência de foguetes. As pessoas que se tornarem cientes das diferenças na forma como se aproximam destas três decisões, encontrarão um caminho para ajudá-las a criar uma mudança positiva permanente, em qualquer área da vida.

OBS: Este texto foi adaptado do novo livro de Tony Robbins,  Money Master the Game: 7 Simple Steps to Financial Freedom.  

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Qual dieta da moda é melhor para perda de peso?


Pesquisadores vasculharam todos os dados disponíveis sobre as dietas populares e comparou-os frente a frente na perda de peso e também o quanto eles reduziram o risco de doença cardíaca
Se você vai fazer uma dieta, você também pode escolher uma que atenda aos critérios básicos de realmente trabalhar em seu favor. Mas experimentar uma dieta possa proporcionar perda de peso a longo prazo requer dados confiáveis — e muito. Isso é o que o Dr. Mark Eisenberg, professor de medicina na Universidade de McGill, e seus colegas foram procurar. Eles vasculharam a pesquisa existente sobre as dietas Atkins, South Beach, vigilantes do peso e das dietas de Zone para descobrir qual era mais eficaz e qual tinha a prova mais cientificamente rigorosa para fazer backup de suas expectativas de perda de peso, especialmente no longo prazo. Seus resultados foram publicados no jornal da American Heart Association, com o título "Circulation:
Cardiovascular Quality and Outcomes".
A cada ano, os norte americanos gastam mais de 66 bilhões sobre estas e outras dietas na tentativa de perder peso e não recupera-los. Mas quando os cientistas consideraram dados sobre estas dietas, encontraram apenas 12 estudos que preencheram critérios para serem cientificamente bem montadas. "O que é incrível para mim é que fazer dieta é uma indústria de bilhões de dólares, e se olharmos para a quantidade de dados por aí, é minúsculo em comparação com o mercado," diz ele. "Existem muito poucos estudos bem feitos, e a maioria deles só se preocupam com o curto prazo. E perda de peso é uma questão de longo prazo."
Para se qualificar como bem feito, os estudos tinham que envolver um número de pessoas suficiente para produzir resultados estatisticamente significativos; ter um grupo de controle que não apenas pratique uma dieta, mas simplesmente esteja educado sobre boa alimentação e a importância do exercício e acompanhasse os indivíduos por mais de um ano para ver se os resultados atendiam às expectativas. "Em estudos de saúde cardíaca, eles envolvem milhares e dezenas de milhares de pessoas. Com estudos de dieta, estamos falando de centenas no máximo," diz Eisenberg.
Os 12 estudos mais fortes revelaram que nenhum dos planos das quatro dietas levou a dramática perda de peso, e nenhum foi significativamente melhor que os outros, quando foi considerado a manter a perda do peso por um ano ou mais. Todos foram eficazes em ajudar os praticantes das dietas a perder o mesmo número de quilos no curto prazo: cerca de 5% do seu peso inicial. A dieta Vigilantes do Peso foi mais eficaz do que a média, no que se refere com a perda de peso, mas as comparações entre estas dietas, mostraram que em um ano, Atkins, Vigilantes do Peso e Zone resultaram, na média, em uma perda de peso semelhante, e que depois de dois anos, algum do peso perdido foi readquirido por pessoas que seguiram Atkins ou Vigilantes do Peso.
As dietas também não resultaram em diferenças significativas em fatores de risco de doença cardíaca, tais como níveis elevados de colesterol, pressão arterial elevada ou açúcar no sangue. "Não encontramos grandes diferenças entre as diferentes dietas," diz Eisenberg.
Alguns estudos que ele desenvolveu com sua equipe incluíam informações sobre quanto os praticantes de dietas estavam se exercitando, ou não. É sugerido que algumas pessoas que mudam seus hábitos alimentares para perder peso possam também começar algum tipo de exercício, o que pode contribuir para perda de peso — sugerindo que a dieta por si só não pode ser responsável pelos quilos perdidos.
Ele diz que estes resultados não devem desencorajar os praticantes de dietas que precisam perder peso e sugere que, desde que as dietas produzem resultados semelhantes, pessoas devem encontrar aquela que é mais adequada para o seu modo de viver e, portanto, são sejam mais propensos a adotar esta. Vigilantes do peso, por exemplo, envolve uma abordagem de modificação de comportamento mais baseado em grupo, o que pode ser melhor para as pessoas que trabalham bem em grupos e precisam de alguma motivação externa, enquanto os outros três são mais centrados em torno de indivíduos e dependentes de sua própria capacidade de permanecer com um programa ao longo de vários meses. Atkins, South Beach e Zone focam na redução dos carboidratos e aumentam o consumo de gorduras saudáveis e proteínas.
Dada a enorme quantidade de dinheiro gasto em dietas — e as taxas de obesidade e o diabetes tipo 2, nos EUA e Canadá — Eisenberg diz que é realmente necessário mais informação que possa ajudar as pessoas a fazer melhores escolhas sobre qual plano é certo para eles e para melhorar suas chances de perder peso, não apenas por alguns meses, mas no longo prazo.

Referência: Time -

terça-feira, 18 de novembro de 2014

A 6 necessidades humanas básicas que nos deixam satisfeitos


Eu já vi isso um milhão de vezes: pessoas igualam seu patrimônio líquido com a sua autoestima. Suas identidades estão casadas tão profundamente com os seus extratos bancários que os seus portfólios trimestrais relatam que elas esqueceram que o dinheiro é simplesmente um veículo para tentar satisfazer as nossas necessidades, quase todas as que não são financeiras.
Estamos todos familiarizados com o clichê de que o dinheiro não pode comprar felicidade, mas estou convencido de que quase todo mundo tem que aprender essa lição da maneira mais difícil, porque vamos enfrentá-la; a ideia de ter dinheiro suficiente para combater seus problemas até que eles sejam resolvidos é um impulso sedutor.
Certamente é algo que sempre se pensa quando é um garoto. À medida que se cresce, o dinheiro estava sempre fora do alcance. Era sempre uma fonte de estresse, porque nunca houve suficiente. Lembro-me de bater na porta do vizinho para pedir comida para o meu irmão, minha irmã e eu.
Então, em um dia de Ação de Graças, quando eu tinha 11 anos, aconteceu algo que mudou minha vida para sempre. Como de costume, não havia comida em casa, e meus pais estavam brigando. Eu ouvi alguém batendo na porta da frente. Eu abri uma fresta e vi um homem de pé sobre os degraus, com sacolas de supermercado, cheias de comida suficiente para um grande jantar de Ação de Graças. Eu mal podia acreditar.
Saltando para a frente vários anos, quando eu tinha 17 anos eu economizei meu dinheiro de noites a fio trabalhando como zelador e saí no dia de Ação de Graças alimentando duas famílias. Foi uma das experiências mais emocionantes da minha vida. Eu aprendi a alegria de dar e até hoje eu considero a doação como sendo uma das seis coisas mais importantes que cada pessoa necessita.
Seja qual for a emoção que você queira, qualquer que seja o veículo que você persiga para construir um negócio, casar, criar uma família, viajar pelo mundo, o que você acha que seja o seu nirvana, são seis as necessidades universais básicas que nos fazem assinalar e conduzir todo o comportamento humano . Combinados, eles são a força por trás das coisas malucas que outras pessoas fazem e as grandes coisas que fazemos. Todos nós temos as mesmas seis necessidades, mas como nós valorizamos essas necessidades e em que ordem, determina o sentido da nossa vida.

Necessidade 1: Certeza/Conforto

A primeira necessidade humana é a necessidade de segurança. É a nossa necessidade de se sentir no controle e saber o que está por vir, para que possa se ​​sentir seguro. É a necessidade de conforto básico, a necessidade de evitar a dor e tensão, e também para criar o prazer. A nossa necessidade de segurança é um mecanismo de sobrevivência. Ela afeta o quanto de risco estamos dispostos a tomar na vida, em nossos trabalhos, em nossos investimentos, e em nossos relacionamentos.
Quanto maior a necessidade de segurança, menor o risco que você vai estar disposto a assumir ou emocionalmente admitir. Aliás, este é o ponto onde a sua real "tolerância ao risco" aparece.

Necessidade 2: Incerteza / Variedade

Deixe-me lhe fazer uma pergunta: Você gosta de surpresas?
Se você respondeu "sim", você está enganando a si mesmo! Você gosta das surpresas que você deseja. Os que você não quer, você chama de problemas! Mas você ainda precisa deles para colocar um pouco de músculo em sua vida. Você não pode crescer-muscular ou personagem, a não ser que você tenha algo para empurrar de volta contra.

Necessidade 3: Importância

Todos nós precisamos de nos sentir importante, especial, original, ou necessário. Então como é que alguns de nós consegue? Você pode obtê-lo por ganhar bilhões de dólares, ou reunir graus acadêmicos, distinguir-se com um mestrado ou um doutorado. Você pode construir um número enorme de seguidores no Twitter. Ou você pode ir bem no The Voice ou se tornar a próxima Dona de Casa Ideal de Orange County. Alguns se sentem diferentes, colocando tatuagens e piercings por todo seu corpo e em lugares que não queremos conhecer.
Você pode se destacar por ter mais ou maiores problemas do que qualquer outra pessoa. "Você acha que seu marido é um saco de sujeira, então pegue o meu por um dia!" É claro, você também pode consegui-lo sendo mais espiritual (ou fingindo ser).
Gastar muito dinheiro pode fazer você se sentir importante, e por isso pode gastar muito pouco. Todos nós conhecemos pessoas que constantemente se gabam de seus negócios, ou que se sentem especiais porque aquecem suas casas com estrume de vaca e luz solar. Algumas pessoas muito ricas ganham destaque por esconder sua riqueza. Como o falecido Sam Walton, fundador do Wal-Mart e por um tempo o homem mais rico da América, que dirigiu por Bentonville, Arkansas, em sua velha caminhonete, demonstrando que ele não precisa de um Bentley, mas é claro, ele tinha sua própria frota de jatos particulares para viajar.
Ser importante também é uma fabrica de dinheiro - que é onde o meu querido amigo Steve Wynn fez sua fortuna. O homem que fez Las Vegas o que é hoje, sabe que as pessoas vão pagar por qualquer coisa em que elas acreditam que é "o melhor", algo que as faz sentir especial, únicas ou importantes, qualquer coisa que as faz se destacar da multidão. Ele oferece as mais exclusivas experiências de luxo imaginável em seus cassinos e hotéis, eles são verdadeiramente magníficos e inigualáveis no mundo.

Necessidade 4: Amore & Connection

A quarta necessidade básica é Amor e Conexão. O amor é o oxigênio da vida; é o que todos nós queremos e precisamos mais. Quando amamos nos sentimos completamente vivos, mas quando perdemos o amor, a dor é tão grande que a maioria das pessoas se contenta com a conexão, as migalhas de amor. Você pode obter esse sentimento de conexão ou do amor através da intimidade ou amizade, ou da oração, ou de andar na natureza. Se nada mais funciona, você pode ter um cachorro.
Estas quatro primeiras necessidades são o que eu chamo de as necessidades da personalidade. Todos nós encontramos maneiras de satisfazer estas necessidades, trabalhando mais duro, chegando com um grande problema, ou com a criação de histórias para racionalizá-los. Os dois últimos são as necessidades do espírito. Estes são mais raros, não atendem a todos. Quando forem satisfeitas estas necessidades, nós realmente nos sentiremos realizados.

Necessidade 5: Crescimento

Se você não está crescendo, você está morrendo. Se um relacionamento não está crescendo, se uma empresa não está crescendo, se você não está crescendo, não importa quanto dinheiro você tem no banco, quantos amigos você tem, quantas pessoas te amam; não vai experimentar a realização completa. E a razão porque crescemos, creio eu, é porque nós temos algo de valor para dar.

Necessidade 6: Contribuição

Por incrível que possa parecer, o segredo para uma vida é doar. A vida não é sobre mim; é sobre nós. Pense nisso: qual é a primeira coisa que você faz quando você tem uma notícia boa, ou emocionante? Você chama alguém que você ama e compartilha. O compartilhamento aumenta tudo que você experimenta.
A vida é realmente sobre a criar significado. E o sentido disto não vem do que você ganha, mas sim do que você dá. Em última análise, não é o que você tem que te faz feliz a longo prazo, mas sim o que você se torna e o quanto você contribui com vontade vontade.
Agora pense sobre como o dinheiro pode cumprir as seis necessidades humanas. O dinheiro pode nos dar a certeza? Pode apostar. Variedade? Confiança? Obviamente que pode nos fazer sentir importante ou significativo. Mas o que dizer de conexão e amor? Nas palavras imortais dos Beatles, o dinheiro não pode comprar o amor. Mas pode comprar-lhe aquele cão que o ajudará! E isso pode, infelizmente, dar-lhe uma falsa sensação de conexão porque atrai relacionamentos, embora nem sempre seja o tipo mais gratificante. Que tal o crescimento? O dinheiro pode alimentar o crescimento nos negócios e na aprendizagem. E quanto mais dinheiro você tem, mais você pode evoluir financeiramente.
Mas aqui está o que eu realmente acredito: se você tem um grande significado acima de tudo, o dinheiro sempre vai deixá-lo em um vazio, a menos que se trate de uma doação que você faça. E se você está procurando o significado do dinheiro, isto será um preço alto a pagar. Se você está à procura de grandes números, é improvável que você vá encontrar uma grande realização.
O significado último da vida não vem de algo externo, mas de algo interno. Ele vem de um sentimento de estima por nós mesmos, o que não é algo que nunca pode chegar de outra pessoa. As pessoas podem dizer que você é bonito, esperto, inteligente, o melhor, ou eles podem te dizer que você é o ser humano mais horrível na terra, mas o que importa é o que você pensa sobre si mesmo. Se você acredita ou não que no fundo você está continuando a crescer e se empurrando, fazendo e dando mais do que o fazia se sentir confortável ou você pensou mesmo possível. A pessoa mais rica do mundo é aquele que você aprecia.

Referência: Addicted2success - Tonny Robins

domingo, 16 de novembro de 2014

9 colocações que explicam porque ninguém abre seus e-mails


Você cria o conteúdo e envia uma newsletter semanal, como sempre, mas suas taxas de abertura e cliques estão caindo semana a semana.
Não consegue descobrir o que está acontecendo? Foram consultados nove empresários responsáveis por boletins de notícias e eles procuram explicar porque ter tido números elevados no passado podem ter se transformado nas declinantes taxas de abertura atuais.

1) Falta de personalização

"Não é surpreendente que as taxas estejam caindo e há apenas uma razão, na minha opinião - as pessoas querem conteúdo personalizado sempre. Elas não querem peneirar conteúdo em um monte de lixo que não é destinada para elas. As newsletters por email são parte do declínio dos email ultimamente".
- Justin Gray

2) Não otimização para celular

"Deve ser observado pelas oportunidades atuais, que a forma como o público está consumindo o seu conteúdo é radicalmente diferente do que era há três anos. Na verdade, em 2013, mais de 50% de todos os emails foram abertos no celular. E esta tendência só está aumentando enquanto nós falamos. Se seu boletim (ou seu site) não responder a essa mudança, ele pode muito bem ser a "razão oculta" por que seus números estão caindo. Verifique suas estatísticas de dispositivo móvel ".
- Juha Liikala

3) Novas inscrições sem saber o que obter

"Às vezes, o que acontece é que seus leitores mais antigos ainda estão abrindo seu email, enquanto as novas inscrições não têm ideia se seu boletim está chegando. Lembre-se de enviar email automaticamente para as novas inscrições com informações sobre o que eles devem esperar de você e quando. Dessa forma, elas estarão preparadas para receber seu email a cada manhã, em vez de jogá-la rapidamente no lixo porque esqueceu que você sequer existia. "
- Firas Kittaneh

4) As linhas de assunto do email

"Boletins de negócios, muitas vezes semanais, têm o mesmo formato na linha de assunto. Como provedores de email tentam limpar a caixa de entrada devido a spams, emails com títulos repetidos muitas vezes começam a ir para as guias de promoção ou para a pasta de spam. Então você tem que incrementar suas linhas de assunto. Um truque que ajuda é solicitar aos assinantes inativos pedindo-lhes para atualizar suas preferências e dados de contacto ".
- Syed Balkhi

5) Valor não atrativo

"Se o seu boletim de notícias é sempre sobre você e o que está acontecendo em seu mundo, você está perdendo ponto. Toda vez que você enviar um e-mail para seus clientes e potenciais clientes, deve dar-lhes algo de valor. Isto poderia ser uma dica, uma estratégia, uma ferramenta que você usou da qual eles poderiam se beneficiar, ou outros recursos livres. Se o seu cliente recebe valor pelo que você envia, eles vão manter a taxa abertura. "
- Natalie MacNeil 

6) Mensagens marcadas como spam

Spam é um alvo em movimento, assim como os esforços dos fornecedores de serviços para reduzir o spam. Se você tem uma queda súbita em taxas de abertura, você deve verificar para ver se seus servidores de email ou provedores estão em alguma lista negra.
- Mark Cenicola

7) Material repetitivo

"Criadores muitas vezes vêm um boletim semanal de negócios como um choro. Essa mentalidade é venenosa. O criador conduza os movimentos produzindo material sem inspiração, repetitivo. As caixas de entrada das pessoas são inundadas. Muitas pessoas odeiam sua caixa de entrada porque a minerar algo de qualidade é como encontrar uma agulha em um palheiro Em vez disso, ser contra; solicite conversas e escreve de volta quando eles lhe responderem".
- Joshua Lee

8) Listas de email obsoletas

"Nada vai destruir mais a sua capacidade de entrega do que uma lista de email obsoleta. Para definir obsoleto, pense em assinantes de email que não tiveram atividade em seis meses (ou eles não abriram um email ou não tem sido enviado um email desde que se inscreveu). Outros contribuintes para uma lista obsoleta são assinantes que foram adicionados manualmente, sem a sua permissão. Ambos os grupos matamr as taxas de abertura e informam reclamações de spam. "
- Brett Farmiloe

9) A congestão pelo formato

"Como todas as formas de mensagens, o sucesso de um boletim informativo depende muito de ser pesquisável e fácil de absorver. A complexidade não é ideal para as caixas de entrada."
- Sam Saxton

Referência: Hubspot

sábado, 15 de novembro de 2014

Escolha o seu impacto, mude o mundo


No final dos anos 80, eu estava em um auditório repleto de olhos brilhantes de jovens profissionais que procuravam levar a sua marca para o mundo. 
Nós tínhamos sido chamados para o que pensávamos que seria uma apresentação de slides com um dos nossos vice-presidentes, a maioria deles seniores. Nós nos instalamos e assumimos "o modo de recepção" (todos nós sabemos que isso parece escutar passivamente e às vezes, nem mesmo ouvir), e preparados para ouvir uma hora de conteúdo de valor. O que aconteceu depois nunca me esqueci. O vice-presidente que liderava a reunião foi até a frente da sala, virou a página de um bloco flip-chart, e lá, o que estava escrito no papel eram duas palavras: "ESTEJA AQUI". Ele não entrou em qualquer profundidade sobre o que estava na primeira página, mas deixou lá todo o conteúdo do encontro, enquanto falava sobre os mais recentes desenvolvimentos de uma aquisição que a empresa estava fazendo. 
Isso me fez pensar: quantas pessoas estavam "lá"? Quem estava "presente"? Quem não foi? Que escolhas as pessoas estariam fazendo e qual foi o impacto dessas escolhas? 
Nos anos seguintes, eu passei a acreditar que a cada momento que temos é um momento de escolha: a oportunidade de decidir conscientemente como vamos aparecer. Em meu trabalho com líderes de todos os continentes e organizações, vejo fio comum. Não importa o nível de líder com quem eu estou trabalhando ou em que parte do mundo eu estou trabalhando, uma vez que os líderes começam a escolher intencionalmente o que eles querem ser e qual o impacto que eles querem dar, a sua eficácia de forma exponencial sobe, tanto em sua liderança como em suas vidas. A parte mais maravilhosa dessa verdade fundamental é que esta escolha pertence inteiramente ao indivíduo; o poder de aparecer da  maneira que você gostaria está em suas mãos. Cada interação proporciona essa oportunidade; cada momento é uma escolha.
Quem você quer ser como um líder? Que impacto você quer ter? Como você quer que as pessoas tenham experiência com você? Não importa onde você estiver na estrutura organizacional, a sua capacidade de moldar tanto a cultura organizacional e como os outros percebem você, é um resultado direto do nível de intenção com o qual você opera. O que significa operar com intenção? É ter a consciência de liderar com iniciativa e não adotando um padrão; é estar consciente daquilo que você quer ser e então a viver aquela imagem 24 horas por dia. Trata-se de ver oportunidades todos os dias, em cada interação, para moldar o tom, a experiência, e o resultado dessas interações. É estar ciente de que tudo que você faz envia uma mensagem: o que você diz e como você diz, o que você faz e como faz, até mesmo o que você escolhe fazer ou dizer. É perceber que o sistema de trabalho não lhe diz o quê você será; você decide quem você conseguirá ser.
Ver o seu "eu" como a principal ferramenta para a obtenção de resultados de alto nível, é um conceito que pode parecer com o senso comum, mas é muito menos comumente praticado e muito menos frequentemente desenvolvido pelos profissionais, à medida que crescem em suas carreiras. Ao longo dos meus vinte e cinco anos ou mais treinando líderes e reformulando organizações, eu diria que cerca de 80 por cento das pessoas com quem eu trabalhei não lideraram intencionalmente. Eles eram brilhantes, líderes capazes, que operavam fora da intuição, padrão, e reação. Lembre-se, alguns o fizeram com resultados muito fortes, mas aqueles que tomaram a decisão de ser mais autoconscientes e intencionais alcançaram resultados de alto nível, tanto em termos das posições que galgaram, como do impacto que eles tiveram, o que não ocorreu com aqueles que continuaram a operar principalmente da intuição.
Aqui está um exemplo: uma jovem profissional, saído a cerca de três anos de um programa de MBA muito prestigiado, pediu a minha opinião sobre um tema de liderança, enquanto estávamos em uma pausa em uma reunião.
Quando comecei a responder a sua pergunta, ela pegou o telefone e começou a digitar mensagens de texto. Quando eu fiz uma pausa, ela parou de digitar mensagens de texto e olhou com uma expressão de estranheza no rosto, como se dissesse, "Bem, vá em frente, eu estou ouvindo." Depois de passar os próximos dez minutos conversando com ela sobre o impacto não intencional de seu comportamento, ou seja, que a minha resposta à sua pergunta tinha sido aparentemente ignorada, foi como se uma lâmpada tivesse acendido à sua frente. Ela começou a ver, de uma forma totalmente nova, que o que ela estava escolhendo fazer por hábito não estava posicionando-a na forma como ela queria ser percebida. Quando ela decidiu compartilhar seu aprendizado com os outros na reunião, todos eles, comentaram sobre o quão útil eles pensaram que seria desenvolver esta forma de pensar de maneira mais explícita nos líderes: ensinar-lhes o conceito de como se conduzir com intenção, como fazer escolhas conscientes sobre seu impacto sobre os outros, como usar-se mais profundamente, e como integrar esta mentalidade em sua maneira de ver a si mesmos e o mundo. Imagine o impacto se este tipo de aprendizagem não fosse a exceção, mas a regra.
Desenvolver esta aptidão é possível, e começa no momento em que você se olha no espelho e reflete sobre o processo de compreensão de como você deve se mostrar, como você afeta um local onde está, e qual o ambiente que você cria.
Mas como você começou?
➔ Identificando as palavras que você quer dizer. Como você quer ser conhecido? Tente usar tão poucas palavras quanto possível (certamente não mais do que dez). Pergunte-se: "Como é que esta filosofia faz o espetáculo em minhas ações? Existe mais que eu possa fazer para trazer estas palavras a cada momento vivido?"
➔ Durante as interações chave, pergunte-se:
1. O que está acontecendo agora?
2. O que estou fazendo, sentindo e pensando sobre o que está acontecendo?
3. O que estou tentando alcançar?
4. O que estou fazendo que poderia me impedir de alcançá-lo?
5. O que estou escolhendo agora?
6. Em seguida, faça uma escolha deliberada sobre a sua próxima ação. "Eu escolho ..."
➔ Pense nas três últimas reuniões que participou. Como você apareceu, ou se comportou? O que você sinalizou com o seu comportamento? O que você contribuiu? O que você fez diminuir? Como você poderia ter operado mais intencionalmente?
➔ Pense em alguém em sua carreira que o fez melhor do que você é. Você o fez saber disso? Como você poderia causar um impacto semelhante em outra pessoa?
Operar com esse nível de consciência é contra intuitivo para o modo como vivemos nossas vidas, o que é a razão por que é tão fácil perder de vista a sua importância. No entanto, com esta consciência no lugar, o sucesso torna-se uma questão de intenção: reconhecer o que você está sendo e escolher conscientemente e deliberadamente quem você quer ser. Colocando mais claramente: observe-se. Sinta, esteja em cada momento e veja-se neste momento. Como você experimentaria suas ações se você estivesse no fim da recepção? Crie uma consciência que lhe permita girar, mudar e ajustar de momento a momento. Embora simples em teoria, ela requer tremenda autodisciplina.
A maioria das pessoas lideram através da intuição, usando padrões que funcionaram no passado, em lugar de liderar com grande intenção. Pense sobre o controverso Mark Zuckerberg quando ele começou e usou um moletom com capuz na bolsa de valores, quando o Facebook iniciou suas operações no mercado de ações no mercado (IPO). Tudo começou com um comentário feito por Michael Pachter, da Bloomberg, onde ele declarou: "Mark e seu moletom com capuz: Ele estará realmente mostrando aos investidores que não se importa tanto assim; ele vai ser ele. Acho que isso é um sinal de imaturidade. Eu acho que ele tem que perceber que está trazendo investidores para um novo negócio, agora, e eu acho que ele tem que mostrar-lhes o respeito que eles merecem porque ele está pedindo-lhes o seu dinheiro."
Outros revidaram com pontos de vista opostos e gracejos, alguns com sarcasmo, ou desdém pela língua afiada dos comentários de Pachter. O CEO da Box, Aaron Levie, destacou no Twitter: "Depois que o Facebook atingiu US$ 1 bilhão em lucros, você acha que os investidores irão exigir que Zuck vista um moletom com capuz?” E ele passou a para dizer: "CEO do Yahoo: Sem moletom com capuz; O CEO da AOL: Sem moletom com capuz; CEO do Facebook: Moletom com capuz. Coincidência?"
Não importa qual seja sua opinião sobre o comportamento de Zuck, o fato real é que ele causou um impacto. Para alguns, sinalizou que estava "fazendo sua própria coisa" e "não se vendendo para fora do seu negócio"; para outros, ele não conseguiu inspirar a confiança de que Zuckerberg poderia levar em negrito, um novo mundo "pós-IPO Facebook". A questão não é tanto se ele fez a coisa certa ou errada vestindo um moletom, mas sim foi o CEO Zuckerberg escolher intencionalmente o impacto que ele queria ter?
Uma história final para estabelecer o ponto de referência. Eu estava em um Starbucks local para meu deleite de fim de semana. Meu costume é um descafeinado grande triplo, desnatado, leite extra quente. No entanto, nets dia em particular, eu estava mais inclinado por tomar uma simples xícara de café preto e disse à amiga com quem estava, que era tudo isso que eu queria. Quando me aproximei do balcão, o jovem balconista por trás da máquina de café expresso olhou para mim e disse: "Grande triplo, leite desnatado?" Apesar de ele ter omitido alguns detalhes do pedido (descafeinado e extra quente), fiquei tão impressionado pelo fato de ele se lembrar do meu hábito de todo fim de semana que eu disse: "É isso mesmo. Uau, isso é impressionante. Basta adicionar descafeinado e extra quente, que vai ficar bom para mim." Minha amiga me conhece bem e apenas balançou a cabeça e sorriu. Eu perguntei, "Por que o sorriso?" Ela disse: "Esta é a sua mensagem em ação; esta não é apenas sobre liderança, esta é sobre a vida. Você tinha toda a intenção de tomar uma xícara de café preto quando você entrou aqui esta manhã e, em vez disso, você escolheu por beber algo diferente, a fim de reforçar o que você pensou que era ótimo devido ao comportamento do balconista. Tudo isso passou pela sua cabeça em uma fração de segundo e você conscientemente escolheu concordar com o balconista." Ela estava certa.
Agora eu sei que é uma estratégia eficaz de vendas conhecer seus clientes e sei que o Starbucks treina seus funcionários para a criação de um ambiente convidativo, uma atmosfera amigável. Na verdade, a página de abertura do site do Starbucks diz: "É apenas um momento no tempo, apenas uma mão chegando ao balcão para oferecer um copo para outra mão estendida. Mas isto é uma conexão. Temos certeza de tudo o que fazemos em homenagem a essa conexão." O balconista certamente não precisa agir de acordo com a filosofia da empresa, mas como um consumidor estou muito mais inclinado a apoiar uma empresa que promove uma ligação pessoal comigo e cuida de mim como um cliente, do que uma que não o faz. Então, eu fiz a escolha sugerida, para apoiar não só o balconista, mas a estratégia organizacional e o esforço que estava por trás dele. Consumidores fazem milhares de escolha, se não milhões de vezes por dia. Isto tem um impacto muito real nas nossas organizações e os resultados finais que são alcançados pesam sobre os indivíduos e as escolhas que eles fazem.
Quando se comprometer com uma nova possibilidade, ela altera quem você é; quando você toma uma posição, ela pode transformar o seu comportamento. Imagine que você vive em um futuro em que a grande maioria das pessoas são conscientes do seu impacto, intencionais sobre a forma como eles se apresentam, e conscientes das escolhas que fazem sobre o seu comportamento. Quão diferente seria o funcionamento em nosso mundo? Imagine esse conceito além de sua vida profissional; imagine-se vivendo com sua família, com seus amigos, e no mundo. Aqui estão alguns exemplos que eu testemunhei e que ilustram essas ideias da vida fora do trabalho:
➔ A mãe e o pai, saíram para jantar com seus dois filhos adolescentes e mantiveram uma relação ativa com eles durante toda a refeição. Não utilizando seus smartphones ou recebendo chamadas.
Eles escolheram estar presentes e sinalizaram para os adolescentes que eles eram valiosos, que valia a pena ouvi-los, e respeitá-los.
➔ Uma mulher entregou uma lata de biscoitos para os bombeiros no corpo de bombeiros local como uma forma de dizer obrigado por aquilo que eles fazem, praticando um gesto intencional para garantir que eles soubessem que estavam sendo recompensados por seu trabalho.
➔ Wawa, uma loja de conveniência popular na costa leste, aonde os clientes abrem as portas uns para os outros, com uma consistência que eu nunca observei em outros lugares. Devo admitir não saber como a empresa cultivou esse comportamento em seus clientes, mas não importa o que Wawa desenvolveu. Na realidade existe uma civilidade presente, o que eu aprecio muito. É como se a cultura de Wawa ditasse esse nível de intenção e bondade.
➔ O impacto positivo de uma caixa em um restaurante lotado no aeroporto me cumprimentando com um sorriso e um "como está o seu dia?", quando os caixas em outras lojas estavam fazendo menos escolhas positiva, provavelmente por força do hábito, em vez de fora da intenção.
As escolhas que as pessoas fazem nestes exemplos tem significado. Não custa nada, mas a consciência e a escolha  podem criar uma onda de diferença no modo como nos vemos e tratamos uns aos outros.
Imagine que os membros do Congresso norte-americano olhando-se, desta forma, analisando o seu comportamento por trás da lente do impacto que teria, escolhessem conscientemente olhar para o ganha-ganha contra o ganha-perde. Utopia? Eu não penso assim. Escolha.
Eu tenho uma grande visão das possibilidades que fluem das pessoas quando são intencionais em suas vidas, profissionalmente e pessoalmente. Continuo firmemente convencido de que ser intencional pode mudar do mundo, e eu acho que este mundo poderia usar um pouco de mudança.
Você escolhe todos os dias como você se envolve com o mundo ao seu redor. Não perca essa oportunidade.
Não permita que sua vida ou sua carreira se desenvolva por acaso; faça essas escolhas com intenção.


A pergunta para você é: O que você está escolhendo?



Referência: Artigo escrito por Mindy Hall, para ChangeThis. Mindy Hall é presidente e CEO da Peak Development Consulting, LLC e autor do livro “Leading With Intention”. Desde a fundação da empresa 1996, ela trabalhou com clientes em todo o mundo para criar organizações sustentáveis e soluções para desenvolvimento de lideranças: ajudando líderes a criar soluções para os desafios de hoje, enquanto cresce sua capacidade para liderar iniciativas futuras a partir do interior de cada um. Ela conta sua sorte por fazer o trabalho que ela ama, com pessoas que ela respeita. Sua filosofia pode ser resumida em oito palavras simples: "eu quero que importe que nos conheçamos."

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

8 hábitos técnicos indesejados que precisam ser quebrados rapidamente


Sua produtividade pode estar sendo destruída, sua saúde estar sendo arruinada e talvez até mesmo você esteja ficando irritado. Mas por que?
É  fácil identificar um uso incorreto da tecnologia, quando vemos alguém praticar. Um profissional depois de trabalhar muitos anos na área do conhecimento (seja processando e-mail, tipos de documentos, e raramente sai de casa para ver o mundo real), pode desenvolver alguns hábitos (bons ou ruins) durante sua jornada de trabalho. Eles podem ser difíceis de quebrar, mas ao mesmo tempo também estarão interferindo com a sua produtividade, prejudicando a sua saúde e tornando-o um rabugento quando se trata de suas interações sociais diárias. Aqui estão alguns hábitos com os quais a maioria se defronta. Será que você também enfrenta dificuldades com estes maus hábitos?

1. Clicar para atualizar seu e-mail constantemente
Aqui está um ponto que é difícil superar, mas isso deve ser trabalhado bastante. Há vezes em que se está esperando um e-mail importante, então está tudo bem. Algumas vezes, pode-se estar apenas esperando um email que irá ditar o que fazer em seguida. Ao clicar no botão da caixa de entrada no Gmail e atualiza-la, pode-se estar perdendo tempo. Você sabe por que? Porque o email chegará de qualquer forma,mais cedo ou mais tarde. É melhor continuar a trabalhar em outras tarefas e verificar os e-mails em intervalos regulares. Em seguida, processe os e-mail recebidos, de uma só vez.

2. Sentar muito perto da tela
à medida que se fica mais velho, nota-se uma tendência para se sentar perto da tela. Apoia-se para ler o texto que está começando a parecer menor e menor a cada dia. O problema é que não deve estar sendo usada a cadeira ergonômica cadeira da maneira que foi destinada: ergonomicamente. A melhor maneira é se sentar em linha reta durante o dia, com boa postura. Felizmente, há uma maneira simples de consertar isto. Os computadores modernos utilizam telas incríveis de alta resolução, mas é também possível, com resultados satisfatórios, utilizar uma resolução mais baixa e assim, conseguir aumentar o texto. Ou, na maioria dos navegadores, procurar uma configuração do menu para fazer zoom na página. (No Chrome, pode ser utilizada a tecla CTRL para ativar o zoom). Problema resolvido.

3. Comer enquanto se trabalha em um computador
Pode-se ser bastante produtivo usando um computador, atualizando os email com a velocidade de um raio. Por que quebrar esse impulso para algo tão trivial como comer um sanduíche? Bem, além de quaisquer preocupações sobre limpeza na mesa de trabalho, ou a má postura, pode-se limpar aquele excesso de comida na boca com um raio de precisão, o efeito mais prejudicial é que não se está comendo com outras pessoas. Pode-se parar para fazer uma pausa de 15 minutos e ir até a sala de descanso. Pode-se ir até lá e encontrar alguém e bater um papo por algum tempo. Em seguida, é possível voltar à mesa de trabalho e continuar a tarefa. O tempo que se gasta comendo uma refeição a sério vai promover melhor produtividade o resto do dia e se conseguirá um impulso adequado.

4. Postar nas redes sociais só sobre si mesmo
Podemos nos responsabilizar, a todos, sobre este mau hábito? As redes sociais devem ser encaradas como ferramenta para promover nosso trabalho, mas não devemos nos esquecer que elas são assim chamadas por um boa razão. É preciso quebrar o hábito de
só postar sobre o próprio trabalho e comentar sobre as realizações dos outros, deve-se, sim, promover os próprios esforços, mas também ter mais interações com a comunidade aonde estamos inseridos. Isto irá aprofundar as relações, ao invés de fazê-las tão unilaterais.

5. Deixar a desordem vencer
Deve-se tomar muito cuidado com a desordem (bagunça) da mesa de trabalho. isto pode interferir diretamente na produtividade de cada um. Um mau hábito é deixar esta desordem acumular porque se está trabalhando muito atentamente em um projeto. A desordem tende a oprimir o ambiente de trabalho, que então leva a distração e a uma sensação de desorganização. Não é preciso deixar a mesa de trabalho completamente livre de bugigangas, mas deve ser desenvolvido o hábito de remover as coisas quando elas muitas vezes se acumulam. Mesa de trabalho arrumada promove um pensamento mais claro.

6. Ouvir música muito alta
Som muito alto? Todos sentem a dor...Literalmente. Esses fones de ouvido não foram feitos ouvir o Radiohead ou Bruce Springsteen assim tão alto. Normalmente, o que ocorre é que este mau hábito vai aumentando com o passar do tempo. O volume vai sendo aumentado de dia para dia e de mês para mês para bloquear as distrações, mas os ouvidos não ficam felizes com isso. Com um volume menor se pode conseguir o resultado desejado, especialmente se forem usados fones de ouvido anti-ruído que reduzem o ruído de fundo.

7. Colocar o monitor no mais alto nível de brilho
Muitos gostam de manter o laptop e tablet (para não mencionar o smartphone) no mais alto nível de brilho, o que torna mais fácil ler o texto. O problema é que manter a tela intensamente brilhando no rosto, todos os dias, estará acabando a vida da bateria de seus dispositivos. deve-se ajustar o brilho para baixo, até um quarto, para economizar um pouco da bateria e conseguir realizar tarefas a mais. Se todos os trabalhadores do conhecimento tiverem este hábito diário, fatalmente a vida do planeta estará sendo diminuída.

8. Verificar o e-mail pela última vez, à noite
Falando de brilho da tela: isso também está causando problemas, se o trabalho é feito à noite. Muitos tem a tendência de verificar o e-mail uma última vez antes de dormir, mas a luz da tela é como um show de luzes de Las Vegas. Os cérebros das pessoa não entendem muito bem o que está acontecendo, então podem ficar acordados. Pode-se fazer um esforço de tentar desligar os gadgets muito tempo antes de dormir e apenas desfrutar deste tempo com a família.

Referência: Inc.

7 opções que as pessoas felizes praticam a cada dia


O que separa o povo mais feliz do mundo do resto de nós?
Cerca de um terço da população dos EUA se descreve como "muito feliz", de acordo com a agência de pesquisas Harris Interactive - um número maior do que poderíamos esperar.
Estas são as pessoas em seu escritório que são otimistas e ansiosas, não importa quais desafios inesperados vêm a caminho, e os que parecem ter realmente animado sobre as menores oportunidades e gentilezas. Eles são as pessoas em seus círculos sociais que suportam as dificuldades com sorrisos em seus rostos e que parecem bem ligadas sempre, a olhar para o lado positivo.
Estudos mostram que metade da felicidade é determinada pela genética, e um pouco menos de 40% é governada pelo impacto de eventos externos. Você possui 12% do pacote que resta, no entanto, verifica-se que as escolhas que você faz dentro dessa fatia fazem toda a diferença entre ser feliz ou não. As pessoas mais felizes percebem isso, e como resultado eles praticam sete principais opções a cada dia.

1. Escolhem se exercitar.

Há muitas pessoas felizes, que não estão em grande forma física, por isso, como é que isto faz sentido? A explicação é que você precisa de apenas sete minutos de exercício por dia, se você está se exercitando em prol da felicidade. Isso é o suficiente para liberar suas endorfinas no corpo, os neurotransmissores responsáveis ​​por aquela famosa "alta do corredor." Eles não poderiam mesmo chamar isso de exercício, mas as pessoas felizes encontram pelo menos um pequeno período de tempo a cada dia para se dedicar a se movimentar.

2. Escolhem passar um tempo fora.

Apenas 20 minutos por dia fora é suficiente para elevar o seu nível de felicidade. Você pode até combinar isso com a escolha número 1 e ter a sua curta pausa para o exercício, do lado de fora. Um simples passeio na hora do almoço ou até mesmo um pouco de tempo no quintal, no pátio, ou em um parque próximo faz a diferença. Elas podem até não perceber o impacto disso na sua felicidade, mas as pessoas felizes fazem questão de ficar ao ar livre.

3. Escolhem para se concentrar em suas famílias.

Três quartos dos americanos pesquisados ​​pelo Pew Research Center em 2010, disseram que sua família era "o elemento mais importante, o mais gratificante de sua vida", segundo um relatório do U.S. News sobre o estudo. Então, faça as pazes com o seu cunhado e se concentre em seus pais, filhos ou irmãos, se você quer ser feliz. As pessoas felizes nem sempre podem querer, mas encontram pelo menos alguns minutos todos os dias (muitas vezes, muito mais) para fazer coisas para melhorar suas relações familiares.

4. Escolhem dar algum tempo para os amigos.

Os amigos são a família que escolhemos para nós mesmos, e pelo menos uma pequena quantidade de tempo social com eles todos os dias é necessário, se você quer melhorar a felicidade. Mesmo apenas o check-in com os amigos por alguns minutos no telefone, ou uma conversa de 10 minutos, ou atividade juntos, podem fazer a diferença. Se você está verdadeiramente entre as pessoas mais ocupadas dentre nós, mescle isso com escolhas no. 1 e 2, e faça exercícios ao ar livre juntos. As pessoas felizes nem sempre podem ter tanto tempo quanto eles gostariam, mas elas encontram uma maneira de interagir com os amigos.

5. Escolhem para encontrar significado em seu trabalho.

É uma exclusividade americana imaginar que a satisfação no trabalho pode fazer ou quebrar a nossa felicidade, mas como um empreendedor, você provavelmente pensa sobre esta escolha o tempo todo: parte da felicidade vem de usar seus dons e talentos todos os dias para fazer algum tipo de diferença. As pessoas felizes podem não ter encontrado o seu emprego dos sonhos ou a sua verdadeira vocação - que diabo, elas podem não amar seu trabalho - mas encontram uma maneira de colocar as suas tarefas diárias em perspectiva e de ter orgulho e alegria do que elas fazem.

6. Escolhem contribuir para suas comunidades.

Ser parte de uma comunidade dá-lhe um sentimento de pertença e ajuda a melhorar o seu senso de autoestima, mesmo enquanto você trabalha para definir quem você realmente é. Assim, a cada dia, as pessoas verdadeiramente felizes encontram uma maneira de compartilhar algo com as suas comunidades mais amplas - indo além de suas famílias e grupos de amigos próximos. As pessoas felizes podem estar envolvidas com associações profissionais, grupos religiosos, organizações esportivas, ou qualquer outra coisa, mas certifique-se de encontrar uma maneira de compartilhar com eles todos os dias.

7. Escolhem dormir o suficiente.

É verdade: a falta de sono vai arruinar a sua vida. Se você não conseguir fechar os olhos o suficiente, você vai estar mais propenso a ser irritável, seu julgamento fica prejudicado, e sua libido sofre, tudo o que afeta a sua felicidade geral. As pessoas felizes podem ser menos movimentadas do que o resto de nós, mas elas descobrem outras coisas fora da rotina de suas vidas, se necessário. Elas assistem televisão, navegam na Internet, ou simplesmente se preocupam com coisas que não podem lhes afetar - e elas escolhem reservar pelo menos sete ou oito horas de sono por dia.

Referência: Inc.

Meu canal de slides