quinta-feira, 21 de julho de 2011

Telefonia: usuários pagaram, em 11 anos, R$ 320 bilhões de impostos

Os usuários dos serviços de telefonia pagaram R$ 320 bilhões em impostos nos últimos 11 anos. Só em 2010, foram R$ 41,6 bilhões em tributos, que incidiram diretamente sobre o cidadão e impactaram os preços dos serviços. De acordo com levantamento da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil), em 2010 o brasileiro gastou a cada hora R$ 4 milhões em impostos sobre a conta de telefone fixo e móvel. Esse levantamento não leva em conta os impostos que incidem sobre a atividade econômica das prestadoras.
A carga tributária no Brasil é uma das mais altas do mundo e representa em média 42% dos preços dos serviços de telecomunicações, penalizando principalmente a população de faixas de renda mais baixas, que paga as mesmas alíquotas de impostos. Numa conta de telefone, por exemplo, em que o cliente gasta R$ 100,00, o valor total a ser pago é de R$ 142,00 em média. Em alguns Estados esse valor é ainda maior, podendo chegar a R$ 167,00, dependendo da alíquota do ICMS, que varia de 25% a 35%.
Somados todos os encargos, a carga tributária do setor vai de 40% a 67% da receita líquida obtida com a prestação dos serviços. Em alguns Estados a alíquota de ICMS de telecomunicações é a mesma aplicada a produtos não essenciais como perfumes, cosméticos e bebidas alcoólicas. Do montante de tributos arrecadados no ano passado sobre os serviços de telefonia, R$ 28,3 bilhões foram de ICMS, o que corresponde a 11% do total recolhido pelos Estados com o imposto.
Ao longo dos últimos dez anos, houve um incremento dos tributos incidentes sobre os serviços de telefonia, subindo de R$ 12,6 bilhões em 2000 para R$ 41,6 bilhões em 2010. Essa evolução se deu não apenas pelo aumento da base de clientes mas também proporcionalmente ao valor das receitas arrecadadas com a prestação dos serviços. O percentual de tributos sobre a receita da telefonia fixa e móvel subiu 31% nesse período, alcançando 42% em 2010.
Estudo da GSM Association, que considerou 50 países em desenvolvimento, mostra que o Brasil está em terceiro lugar entre as maiores cargas tributárias do mundo, perdendo apenas para a Turquia e Uganda. Na comparação com países da América Latina, o brasileiro paga, em impostos sobre os serviços de telecomunicações, mais de duas vezes a média gasta pelos latino-americanos.
Além dos tributos, incidem também sobre os serviços encargos setoriais. Em 2010, por exemplo, foram repassados aos cofres públicos R$ 4,75 bilhões para o Fust, Funttel e Fistel. Desde 2001, R$ 48,6 bilhões já foram recolhidos aos fundos setoriais pelas prestadoras de telecomunicações e menos de 10% desses recursos foram utilizados.
A discussão sobre a carga tributária incidente sobre serviços como telecomunicações e energia, foi retomada pela Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, e fez parte do I Ciclo de Conferências para debater Reforma Tributária, realizado em maio. Também foi abordada, nas discussões, a necessidade de se reduzir e simplificar a carga tributária brasileira de uma maneira geral para incentivar a competitividade.”

Fonte: TELEBRASIL

Vale estuda produzir metais de terras raras

A Vale espera concluir em até seis meses o estudo de viabilidade para a produção de metais de terras raras, afirmou o diretor executivo de marketing, vendas e estratégia da Vale, José Carlos Martins. Um dos metais de terras raras é o lítio, que é utilizado em produtos de alta tecnologia. "A Vale está trabalhando nesse sentido, mas para isso terá que enfrentar o problema do impacto ambiental", afirmou.
Atualmente, a China é responsável por mais de 90% da produção dos 17 metais que constituem as terras raras. "Teve uma época que a China teve pouca preocupação em relação aos impactos ambientais", disse o executivo da Vale. O diretor da Vale afirmou que a mineradora já registrou ocorrência de terras raras em minas de fosfatos da companhia.

O emprego do pronome indefinido

Era uma vez, quatro indivíduos que se chamavam todos, alguém, cada um e ninguém.
Existia um importante trabalho a ser feito, e pediram a todos para fazê-lo. Todos tinham certeza de que alguém o faria. Cada um poderia tê-lo feito, mas na realidade ninguém o fez.
Alguém se zangou, pois era trabalho de todos! Todos pensaram que cada um poderia tê-lo feito e ninguém duvidava de que alguém o faria.
No fim das contas, todos fizeram críticas a cada um porque ninguém tinha feito o que alguém poderia ter feito.

*** Moral da história***

Sem querer recriminar a todos, seria bom que cada um fizesse aquilo que deve fazer sem alimentar esperança de que alguém vá fazê-lo em seu lugar...
A experiência mostra que lá onde se espera alguém, geralmente não se encontra ninguém.
Que todos tenham conhecimento da aplicação e cada um entenda corretamente, mencionando sempre a alguém, sem esquecer de ninguém.

O primeiro encontro de ma tribo indígena com o homem branco

O video a seguir mostra o primeiro encontro da tribo Toulambi, uma tribo selvagem da região Owen Ranmge, Papua, Nova Guiné, com um homem branco (exploradores europeus), ocorrido em 1993, de acordo com o site oficial de Jean Pierre Dutilleux.
Esta tribo foi atacada pela malária e praticamente dizimada. Após o contato com os brancos, e com o auxílio da moderna medicina, foi possível fazer cessar a doença, o que possibitou a sobrevivência da tribo.
Depois de apresentações pessoais por meio de contatos físicos e mímicas, segue-se a apresentação pelo branco de alguns utensílios.
Os índios se mostram ressabiados com as novidades, mas acabam se aproximando, talvez com o intuito de passar a conhecer o que lhes está sendo apresentado.
Embora seja um vídeo longo (15 minutos), as cenas são emocionantes. Vale a pena ver. Talvez seja uma boa caracterização do velho ditado "ninguém ama o desconhecido".
No entanto, parece que a identificação com as novidades se deu de forma rápida e sem grandes traumas.

Preciosidade encontrada no blog danosse.com.

O que aconteceu com as ações da Mundial, ontem?

Destaque de alta na Bolsa desde abril deste ano, as ações da Mundial S/A (MNDL3 e MNDL4) fecharam em forte baixa na BM&F Bovespa ontem. As ações preferenciais da Mundial caíram 50,1%, a maior queda dentre todas as ações negociadas na Bolsa brasileira. As ordinárias tiveram desvalorização mais modesta de 14,4%. As negociações para os dois papéis foram suspensas diversas vezes durante o dia para novos leilões, já que a movimentação intradiária superou o limite estabelecido pela Bovespa. A Bovespa tem um limite para variações nos preços das ações durante o dia com o objetivo de trazer liquidez necessária aos papéis negociados. A medida tem o efeito colateral e benéfico de esfriar os ânimos dos investidores, que no calor das operações, podem tomar decisões das quais podem se arrepender mais tarde. Sem essa medida, a volatilidade nos preços das ações poderia ser muito maior. Michael Ceitlin, Diretor de Relações com Investidores, da Mundial, emitiu um comunicado ontem afirmando que a movimentação atípica nos preços das ações da empresa não reflete nenhum fato relevante do conhecimento da companhia. As ações da Mundial chamaram a atenção do mercado no início de abril deste ano quando a empresa manifestou o interesse de se adequar às exigências do Novo Mercado da BM&F Bovespa, o mais alto nível de governança corporativa da Bolsa. Os analistas acreditam que o movimento é normal e já era esperado, pelo fato de ações terem se valorizado muito nos últimos meses e contando com a volatilidade histórica do papel. Mesmo com a queda de ontem, as ações ordinárias da Mundial acumulam valorização de mais de 2.300% no ano e as preferenciais acumulam mais de 700% no período. Os analistas acreditam que é cedo afirmar que o processo de valorização da companhia acabou. A volatilidade vista nos últimos meses foi muito alta e é normal que períodos de altas valorizações sejam seguidos por correções. O que deve ficar claro é que o investidor tenha consciência de que o investimento nos papéis possui alto risco especulativo no momento.

Fonte: ADVFN

quarta-feira, 20 de julho de 2011

BNDES aprova crédito de R$ 209,6 milhões para seis usinas

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 209,6 milhões para cinco pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) do Complexo Jurena, em Mato Grosso, e uma em Paracambi, no Estado do Rio de Janeiro. Juntas, as unidades gerarão 116,4 megawatts (MW).
A construção da unidade fluminense vai consumir R$ 125,6 milhões do crédito, concedido à Sociedade de Propósito Específico (SPE) Lightger S/A, associação entre Light e Cemig que controla a PCH Paracambi. A usina terá 25 MW de potência instalada. Trata-se de uma ampliação do Complexo das Lajes, que já conta com outras quatro hidrelétricas e terá sua potência instalada elevada para 668 MW.
Segundo o BNDES, o financiamento também contempla a construção da linha de transmissão que será conectada à subestação Nilo Peçanha, em Paracambi. O BNDES financiará 61,8% do investimento total, de R$ 157 milhões. A PCH entrará em operação em dezembro de 2011.
Até lá, a obra deve gerar 950 empregos diretos e indiretos, informou o banco. Já o crédito para as usinas do Complexo Jurena demandarão R$ 84,4 milhões do BNDES, como parte do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia (Proinfa).

Fonte: Agência Estado

Coca-Cola, Nike, Mastercard e outras sete empresas estrangeiras poderão ser negociadas pelo investidor brasileiro no mercado local a partir da próxima segunda-feira. O Itaú Unibanco, que venceu uma concorrência da BM&FBovespa, é o responsável por trazer as ações das companhias, que incluem ainda Colgate-Palmolive, o site Amazon, Caterpillar, Chevron, Oracle, Monsanto e Schlumberger. 
Atualmente, há 20 papéis de empresas de outros países em negociação no Brasil, entre elas Google, Apple, Alcoa, Microsoft.
O investimento nessas empresas na Bolsa brasileira, porém, será restrito a grandes investidores. Para pessoas físicas, a opção estará disponível somente para aquelas com aplicações financeiras de mais de R$ 1 milhão. Quem não tiver esse patrimônio terá de procurar fundos de investimento que incluam esses papéis na carteira.
Continue lendo o artigo aqui.

Quais empresas sofrem mais com a elevação da taxa de juros?

Os analistas do mercado financeiro elevaram a previsão de alta da Selic (taxa básica de juro) para este ano. De acordo com o Relatório Focus desta segunda-feira (11), elaborado Banco Central (BC), a taxa básica de juro deve terminar 2011 a 12,75% ao ano, 0,25 ponto percentual acima das estimativas anteriores.
O fato é que a Selic é um importante instrumento do Governo para conter o avanço da inflação. Entretanto, ao mesmo tempo que o juros altos provocam a desaceleração dos preços, eles também causam um desaquecimento econômico e podem prejudicar as empresas e suas ações na bolsa de valores.
Acompane o texto completo.

Receita da Randon cresce 11,4% em junho

A Randon Implementos e Participações informou nesta quarta-feira (20/7) que registrou receita líquida de R$ 345,2 milhões em junho, valor 11,4% superior ao verificado no mesmo mês de 2010.
No primeiro semestre, a receita líquida totalizou R$ 2,052 bilhões, um crescimento de 20,6% sobre igual período do ano passado.
Já a receita bruta (sem eliminação de impostos) avançou 11,6% em junho, para R$ 529,2 milhões, somando R$ 3,124 bilhões no primeiro semestre.

Fonte: Brasil Econômico

Estoques de petróleo dos EUA recuam em 3,7 milhões de barris

As reservas comerciais da commodity caíram para 351,7 milhões barris. Já os estoques de gasolina subiram em 800 mil barris na mesma base de comparação, ficando em 212,5 milhões. Continue a leitura aqui.

Vale não deve alcançar meta de produção de cobre

O diretor executivo de marketing, vendas e estratégia da mineradora, José Carlos Martins afirmou na terça-feira (19) que a Vale (VALE3, VALE5) não deve atingir sua meta de produzir 1 milhão de toneladas de cobre em 2015, de acordo com dados da Bloomberg. No ano passado, a companhia produziu cerca de 207 mil toneladas de cobre. Saiba mais aqui.

Carlos Slim apoia Best Buddies International

Anthony Kennedy Shriver, fundador e presidente da Best Buddies International,  anuncia que Carlos Slim, por meio da Fundación TELMEX, consignou US$ 2 milhões como uma importante doação em apoio à vindoura Campanha Momentum da organização.
A Best Buddies ( www.bestbuddies.org ), que foi fundada por Shriver em 1989, é uma organização sem fins lucrativos, dedicada ao estabelecimento de um movimento mundial de voluntários que cria oportunidades para amizades direcionadas (one-to-one), emprego integrado e desenvolvimento de liderança para pessoas com deficiência intelectual e de desenvolvimento.
Sobre a Best Buddies International
A Best Buddies® é uma organização sem fins lucrativos dedicada ao estabelecimento de um movimento mundial de voluntários que cria oportunidades para amizades direcionadas (one-to-one), emprego integrado e desenvolvimento de liderança para pessoas com deficiência intelectual e de desenvolvimento. Fundada em 1989 por Anthony K. Shriver, a Best Buddies é uma organização vibrante que cresceu de uma unidade original para quase 1.500 unidades de escolas de ensino fundamental, escolas de ensino médio e faculdades em todo o mundo. 
Hoje, os sete programas formais da Best Buddies: Escolas de Ensino Fundamental, Escolas de Ensino Médio, Faculdades, Cidadãos, e-Buddies®, Empregos e Embaixadores, envolvem participantes em cada um dos 50 estados e em 50 países, impactando positivamente a vida de cerca de 700.000 pessoas com e sem deficiência em todo o mundo. 
Como o resultado do seu envolvimento com a Best Buddies, pessoas com deficiência intelectual e de desenvolvimento garantem empregos gratificantes, vivem por conta própria, tornam-se líderes inspiradores e fazem amizades duradouras. Para mais informações, visite www.bestbuddies.org ou www.bestbuddies.org.mx .
Sobre a Fundación TELMEX
A Fundação TELMEX é uma instituição filantrópica sem fins lucrativos criada em dezembro de 1995. Ela promove programas nacionais de alto impacto e com enfoque social. A Fundação contribui para resolver problemas estruturais que afligem os setores mais vulneráveis da sociedade em áreas como educação, saúde, justiça e auxílio em catástrofes naturais. Além disso, a Fundação fornece apoio a programas permanentes voltados à cultura, desenvolvimento humano e esportes, para o benefício da população mexicana de todas as faixas etárias. Para mais informações, visite www.fundaciontelmex.org
Para obter informações adicionais sobre, ou se juntar à Campanha Momentum, favor entrar em contato com: John M. Carlin pelo e-mail JohnCarlin@BestBuddies.org.

Fontes: Best Buddies; PR Newswie Brasil.

Hercules: Impressionado com alta da Mundial? Então conheça essa empresa

As ações da Hercules S/A Fabricação de Talheres (HETA4) estão seguindo as extraordinárias altas recentes da Mundial (MNDL3 e MNDL4) e apresentam grande valorização este ano na Bolsa. Desde o começo do ano as ações preferenciais da Hercules negociadas na BM&F Bovespa subiram quase 800%, contando com a valorização das ações até ontem. Mesmo se o investidor tivesse comprado as ações somente no começo de junho teria duplicado seu capital. E se tivesse começado a investir na empresa somente neste mês, até ontem teria triplicado o capital. Somente em um dia, na segunda-feira, 17 de julho, as ações da companhia registraram alta de mais de 160%. Esses ganhos têm uma explicação: a Hercules é uma das maiores acionistas da Mundial S/A, detentora de uma grande participação acionária na companhia. A empresa possui 19,8% do total das ações ordinárias e 1,6% das ações preferenciais da Mundial. Os analistas acreditam que os investidores estão procurando as ações Hercules como forma de se capitalizar, em parte, nas boas perspectivas para a Mundial, mas afirmam que o investimento continua de alto risco e especulativo.

Dia do Amigo

Apresento a seguir, texto do Rotariano Waldenir Bragança sobre o Dia do Amigo. A comemoração do Dia do Amigo, em 20 de julho, é fruto da iniciativa de um engenheiro argentino, Enrique Ernesto Febbra, Rotariano do Rotary Club Once – Buenos Aires. Sobre o dia, existe uma placa alusiva na esquina de Corrientes com 9 de Julho, próximo ao Obelisco, na Capital portenha. A seguri, o texto.
20 de Julho - Dia do Amigo

Waldenir de Bragança

O admirável companheiro argentino Enrique Ernesto Febbraro (RC Once, Buenos Aires, D.4890) tomou vigorosa iniciativa para a criação do Dia Internacional do Amigo – dedicando o 20 de julho, que assinala a presença do homem na Lua (20-07-1969), considerado momento extraordinário para uma reflexão sobre a amizade. Sua iniciativa foi vitoriosa. Hoje, o mundo comemora e mais ressalta a amizade. O companheiro Febbraro foi indicado para o Prêmio Nobel da Paz. Merece!
Vamos comemorar o Dia do Amigo, celebrar a amizade e ressaltar, sempre, o seu valor. Na vida, é essencial cultivar a amizade em nossas relações, porque ela é uma necessidade da alma.
Nós somos feitos de sonhos e a amizade nos faz realizá-los. O sentimento da amizade figura entre os mais poderosos e misteriosos instintos humanos.
A amizade não resulta de uma simpatia nascida de interesses comuns, ou de níveis de cultura; não é uma relação baseada em intercâmbio de idéias, pois, também, se desenvolve no silêncio. Em sua nobreza, a amizade é o sal que dá valor à convivência humana. É o sol que clareia caminhos do viver. Para que nasça e permaneça, exige a prática mútua de todas as virtudes da convivência: sinceridade, lealdade e generosidade. É um centro de interesses que estimula o desenvolvimento de muitas virtudes!
Há muitos séculos, pensadores buscam ressaltar a amizade, desde Platão com o seu “Lísias”, ou “Sobre a Amizade”.
Mas pouco se possui sobre o cultivo da amizade, sobre educar para a amizade.
É falsa a idéia de que a amizade surge de maneira espontânea em todas as pessoas. Não basta ser animado e simpático para se ter muitos amigos.
Sócrates: “Era o que havia de mais importante e necessário para ele, desde a infância”.
Aristóteles: “A amizade é uma virtude, ou ao menos vem acompanhada de virtude e, além do mais, é o que há de mais necessário para a vida. Ninguém gostaria de viver sem amigos, mesmo que possuísse todos os demais bens”. Em “Ética a Nicômaco”, ele procura demonstrar que a realidade particular, diante dos ideais em comum, da admiração e do fascínio do que se faz, é um dos “detonadores” que desencadeiam amizade entre diferentes pessoas, de categorias profissionais e gerações.
Para Cícero: “Penso que deveria perguntar o que se pode dizer sobre a amizade aos que a praticam”.
William Shakespeare, sobre amizade à distância, escreveu:
“Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma.
E aprende a construir as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos.
Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida.
Aprende que o tempo não é algo que possa voltar atrás.
Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.
E você aprende que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida”.
Cultivar a amizade é tarefa básica do Rotary. Podemos ter companheirismo sem amizade? Podemos viver sem amigos? É valor necessário às criaturas? É preciso educar para a amizade? Deve ser prioridade no relacionamento familiar? Na escola? No trabalho? Ou será só um nome?
A amizade aponta a eternidade como fonte de nossa satisfação. Ela tem risco porque diviniza o amigo e está sujeita a desilusões. Afinal de contas, está diante de uma criatura humana.
Só existe uma amizade suprema, para a qual se concentram todas as amizades. Existe só um amigo ideal, perfeito e completo, aquilo que buscamos nos afetos humanos: é Deus.
É uma resposta à inquietação humana, mas nunca a satisfaz plenamente.
Há muito a se pesquisar, estudar, praticar e influenciar escolas, organizações profissionais e de negócios para envolver o maior número de adeptos da nobre causa da amizade.
O mundo, para viver em paz, necessita cultivar a amizade.
“É importante lembrar que a amizade verdadeira possui regras que não podem ser violadas sem que se viole a própria amizade”, afirma Geraldo Castilho em “Educar para a Amizade”.
Não há verdadeira amizade sem educação da amizade, sem cultivo, sem atenções, sem cuidados. É preciso estimular, aperfeiçoar a vida de amizade.
Ela é virtude que pertence ao gênero das atividades práticas e, por isso, só pode ser adquirida mediante o exercício.
Vamos promover cursos sobre o “cultivo da amizade”! O Rotary é uma escola viva da amizade. O companheirismo é um meio eficaz para a cultura da amizade.
Nós temos que ser e podemos ser exemplo – porque, em verdade, nós somos exemplos. Nossa convivência se realiza na busca da prestação de serviços pelo ideal de servir. Nós praticamos a amizade – essência da vida do Rotary – nós desenvolvemos as virtudes humanas da sinceridade e da generosidade que levam à solidariedade, à compreensão e à tolerância, que – partindo da pessoa – ganham grupamentos humanos, levando a comunidade à uma nova postura.
A amizade é o fio dourado que tem ligado e alimentado o Rotary para ajudar a fazer a história da humanidade e celebrar a paz.
Colaboração do Companheiro do Rotary RJ Tijuca, Joper Padrão do Espírito Santo.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Mudanças, um negócio usual

Muitas organizações passaram as últimas duas décadas aprendendo a não ver a mudança como um perigo ou desafio, mas como uma oportunidade para gerenciar sua vantagem competitiva.
Quer saber mais sobre o tema, leia aqui.

domingo, 17 de julho de 2011

Como agir em caso de avaria no elevador

Num dos programas da Ana Maria Braga, os bombeiros ensinaram como agir
em caso de elevador que trava ou para.
Pelo menos 76 pessoas morreram no ano passado, porque confiaram no zelador, que usou uma chave de fenda no elevador em pane e abriu um certo pino. A pessoa que estava dentro tentou sair pela metade aberta da porta do elevador. O elevador movimentou-se, e a pessoa foi cortada ao meio.
Há casos em que outras pessoas tiveram mãos, braços ou cabeças decepadas.
Por isso, NUNCA tente sair pelo buraco ou parte aberta de um elevador em pane!
O procedimento correto é o seguinte:
1. Aperte o botão do alarme ou o que indica que está avisando alguém.
2. Sente-se num canto. Em caso de descontrole emocional, abaixe a cabeça e feche os olhos, aguarde, calmamente, que venha o socorro. É uma questão de tempo. Procure se lembrar de que você está trocando tempo por segurança.
3. Não aceite ajuda de estranhos e nem saia com o elevador aberto pela metade! Ele poderá subir ou descer repentinamente.
4. O BOMBEIRO, ASSIM QUE CHEGAR, VAI DESLIGAR A CHAVE GERAL DA CASA DE MÁQUINAS E TESTAR, COM UM APARELHO, SE O ELEVADOR ESTÁ PARADO MESMO E TOTALMENTE INOPERANTE. Então, ele avisará a outro bombeiro, via rádio, para que faça o procedimento junto à porta do elevador. E o elevador irá subir ou descer, completando o ciclo dele e parando no ponto seguro.
5. ANTES de entrar no elevador, sempre, verificar se ele está parado. ESPERAR que as pessoas saiam. ANTES de você entrar e ficar atento no número de ocupantes, se está compatível com o peso que diz na placa !
Quando estiver muito cheio, evite entrar nele, pois poderá haver problema!
Os bombeiros explicaram também que o elevador tem freios, suportes, ganchos, tudo que oferece proteção total e que jamais um elevador cai, sem mais nem menos.
Portanto, a pessoa terá que se manter calma e sem pressa. Mesmo porque tem ar suficiente dentro dele (circulação de ar) e um grupo de pessoas pode ficar ali por várias horas sem problemas !
Resumindo: se ficar preso só saia com a ajuda dos bombeiros, e não com a do zelador do prédio, ou de um abelhudo que diz que tudo já está sob controle.
E, em caso de Incêndio, JAMAIS use o elevador. Faça uso da escada.

Haja fôlego!!!!!!

Dizem que é de autoria de Luiz Fernando Veríssimo. De qualquer forma, não deixa de ser muito boa!
Exigências da vida moderna (quem aguenta tudo isso???) 
Dizem que todos os dias você deve comer uma maçã por causa do ferro.
E uma banana pelo potássio.
E também uma laranja pela vitamina C.
Uma xícara de chá verde sem açúcar para prevenir o diabetes.
Todos os dias deve-se tomar ao menos dois litros de água.
E depois uriná-los, o que consome o dobro do tempo.
Todos os dias deve-se tomar um Yakult pelos lactobacilos (que ninguém sabe bem o que é, mas que aos bilhões, ajudam a digestão).
Cada dia uma Aspirina, previne infarto.
Uma taça de vinho tinto também.
Uma de vinho branco estabiliza o sistema nervoso.
Um copo de cerveja, para... não lembro bem para o que, mas faz bem.
O benefício adicional é que se você tomar tudo isso ao mesmo tempo e tiver um derrame, nem vai perceber...
Todos os dias deve-se comer fibra. Muita, muitíssima fibra. Fibra suficiente para fazer um pulôver.
Você deve fazer entre quatro e seis refeições leves diariamente.
E nunca se esqueça de mastigar pelo menos cem vezes cada garfada.
Só para comer, serão cerca de cinco horas do dia. UFA!!!
E não esqueça de escovar os dentes depois de comer.
Ou seja, você tem que escovar os dentes depois da maçã, da banana, da laranja, das seis refeições e enquanto tiver dentes, passar fio dental, massagear a gengiva, escovar a língua e bochechar com Plax.
Melhor, inclusive, ampliar o banheiro e aproveitar para colocar um equipamento de som, porque entre a água, a fibra e os dentes, você vai passar ali várias horas por dia. CAGANDO NÉ!!!
Há que se dormir oito horas por noite e trabalhar outras oito por dia, mais as cinco comendo são vinte e uma. Sobram três, desde que você não pegue trânsito. TÁ DIFICILLLLL!
As estatísticas comprovam que assistimos três horas de TV por dia.
Menos você, porque todos os dias você vai caminhar ao menos meia hora (por experiência própria, após quinze minutos dê meia volta e comece a voltar, ou a meia hora vira uma).
E você deve cuidar das amizades, porque são como uma planta: devem ser regadas diariamente, o que me faz pensar em quem vai cuidar das minhas amizades quando eu estiver viajando.
Deve-se estar bem informado também, lendo dois ou três jornais por dia para comparar as informações.
Ah! E o sexo!!!! Todos os dias, um dia sim, o outro também, senão vira corno na certa.
Dizer EU TE AMO, toda hora. ''Ainda pego quem inventou essa neura...que saco!!!''
Também precisa sobrar tempo para varrer, passar, lavar roupa, pratos e espero que você não tenha um bichinho de estimação. Se tiver tem que brincar com ele, pelo menos meia hora todo dia, para ele não ficar deprimido...
Na minha conta são 29 horas por dia, se der tudo certo.
A única solução que me ocorre é fazer várias dessas coisas ao mesmo tempo!!!
Tomar banho frio com a boca aberta, assim você toma água e escova os dentes ao mesmo tempo.
Chame os amigos e seus pais, seu amor, o sogro, a sogra, os cunhados...., enquanto tá no banheiro, só assim eles não demoram muito.
Beba o vinho, coma a maçã e dê a banana na boca da sua mulher. Não esqueça do EU TE AMO? (Vou achar logo quem inventou isso, me aguardem).
Ainda bem que somos crescidinhos, senão ainda teria um Danoninho e se sobrarem 5 minutos, uma colherada de leite de magnésio, pra sei lá o que, etc....
Agora você tá ferrado mesmo é se tiver criança pequena. Aí lascou de vez, porque o tempo que ia sobrar para você... já era. criança ocupa um tempo danado. Agora tenho que ir.
É o meio do dia, e depois da cerveja, do vinho e da maçã, tenho que ir ao banheiro e correndo, que a coisa toda não se entendeu lá dentro e alguém quer sair rápido.
E já que vou, levo um jornal... Tchau....

sexta-feira, 15 de julho de 2011

D. Pedro II falava hebráico. Você sabia?

O Prof. Shlomo Haramati, em seu livro “O Hebraico Vivo Através das Gerações”, publicado em Israel em 1992 oferece techos a respeito do interesse de D. Pedro II, imperador do Brasil, sobre a língua hebraica. O Prof. Shlomo Haramati leciona Linguística Aplicada na Universidade Hebraica, Jerusalém. Foi pesquisador da UNESCO, tendo atuado na área da erradicação do analfabetismo.
Foi agraciado com o “Prêmio Jerusalém” em 1974, pelo desenvolvimento de métodos para o ensino do hebraico como língua materna e como língua estrangeira.
O texto abaixo foi extraído do livro citado que, devidamente atualizado, foi transmitido como palestra pelo próprio autor na rádio israelense Kol Israel em dez/1998. 
O trecho apresentado é uma tradução de Ephraim Knaan e Moshé Waldmann.
D. Pedro II, imperador do Brasil de 1841 a 1889, era conhecido por sua vasta cultura e ampla gama de interesses, dominando diversos idiomas inclusive o hebraico.
Segundo o semanário HaMaguid (O Anunciador), o primeiro a ser editado na Europa na língua hebraica, “as línguas européias D. Pedro falava e escrevia com desenvoltura, e também conhecia bem o hebraico”.
Houve sempre, por parte do imperador brasileiro, profundo interesse em assuntos de cultura geral e científica e extrema dedicação ao estudo de idiomas.
Participava de diversas academias de ciências e letras, tendo sido eleito membro da Academia Francesa e tornando-se imortal.
Continua HaMaguid: “Era membro ativo de diversas sociedades científicas na Europa e foi eleito para a Liga dos Quarenta Sábios, em Paris”.
Ainda jovem, D. Pedro II demonstrou especial interesse pela língua hebraica, a qual estudou durante toda a sua vida com afinco, com o auxílio de rabinos e professores judeus em sua pátria e também no exterior.
Há diversos testemunhos quanto ao excelente domínio da língua hebraica a que chegou D. Pedro, incluindo fala fluente e redação criativa.
Segundo o próprio D. Pedro, seu primeiro professor foi um judeu sueco chamado Akerblom.
Após a morte deste, estudou o imperador com o Dr. Heining, falecido em 1888.
O Dr. Koch também é lembrado como um de seus professores de hebraico.
A partir de 1886 estudou D. Pedro com seu assistente de pesquisas, Dr. Christian Seybold, que era também professor de línguas orientais.
Com ele estudou também árabe, com o objetivo, segundo seu próprio comentário, de entender melhor o hebraico e também capacitar-se a ler a literatura árabe no original.
Seu apego à língua hebraica foi interpretado como uma forma de compensar os atos de crueldade cometidos por seus antepassados, reis de Portugal, durante a Inquisição, e também motivado por sua vontade de ler a Bíblia no original.
Contam que certa vez encontrou D. Pedro, nos jardins do palácio, uma Bíblia em hebraico que havia sido perdida por um pastor protestante.
Esta descoberta provocou em D. Pedro forte emoção, a ponto de levá-lo a tomar a decisão de estudar hebraico.
Estudou D. Pedro o hebraico durante toda a sua vida, e quando foi deposto pelos republicanos em 1889 encontrou alívio para seu sofrimento no exílio estudando línguas, aprofundando especialmente seu conhecimento da gramática e literatura hebraicas.
Um de seus biógrafos, Georg Raeders, assim descreveu: “A fim de encontrar consolo em seus anos de exílio, ele também estudou grego e árabe, mas acima de tudo sentia-se atraído pelo hebraico.
E a razão disto era que em seu exílio ele se identificava com um povo que também vivia exilado.
Não há dúvidas que seu profundo interesse pelo hebraico, em seus últimos anos de vida, resultava de ser esta a língua de um povo que vivia na diáspora, estando ele próprio solitário e longe de sua pátria.
Sua afinidade com o hebraico foi também por vezes ridicularizada.
Em 1872, o romancista português Eça de Queiroz publicou artigo criticando as viagens de D. Pedro à Europa e aos Estados Unidos.
“Sua Majestade,” escreve o romancista, “conhecido pela modéstia nos costumes e nas iguarias que impõe no palácio real, tem na verdade uma gula especial e única - a língua hebraica.
Por não levar acompanhante conhecedor do hebraico em suas longas e tediosas viagens por trem, assim que chega, faminto, ao seu destino, sendo festivamente recebido, só sabe balbuciar: ‘Hebraico...’”.
E continuava Eça de Queiroz: “Certa vez, quando recebido com pompa nos palácios reais ingleses e solicitado a exprimir suas vontades e preferências, exclamou com voz sofrida: ‘Hebraico!..’ Os oficiais da recepção, espantados, tiveram a genial idéia de levar o imperador a uma sinagoga. Rodeado por judeus imersos em suas orações, pôde deglutir D. Pedro, com muita curiosidade e satisfação, porções sem fim de hebraico”.
Em seu exílio escreveu D. Pedro um livro de gramática hebraica, em francês, e traduziu do hebraico para o francês a canção “Had Gadiá”, da Hagadá de Pessach (1), por entender que esta canção refletia a essência da justiça divina e seu poder sobre a vida e a morte.
Traduziu também, de um jargão misto de hebraico e provençal, para o francês, três cânticos litúrgicos antigos (séc. XVI ou XVII), que costumavam ser entoados nas festas de Brit Milá (2) e Purim (3) por algumas comunidades na Provence.
Sobre estas traduções observou Sokolov (4):
“Nenhum de nossos homens de letras teve a idéia de salvar do esquecimento e da perda estas peças do folclore judaico, até que veio o imperador brasileiro e coletou-as, interpretou-as, traduziu-as e publicou-as, com total fidelidade aos originais”.
No livro que publicou com estas traduções (5), aduziu D. Pedro na introdução a história destas canções e seu valor literário, para que seus leitores pudessem captar a luminosidade oculta nos tesouros da literatura hebraica.
No prefácio deste livro, declarou o monarca brasileiro seu amor pela língua hebraica e descreveu as sucessivas etapas de seu estudo, mencionando com reverência os nomes de seus professores de hebraico, como citamos anteriormente.
Nos anos 70 e 80 do século XIX, ainda imperador do Brasil, D. Pedro viajou diversas vezes para a América do Norte e Europa.
Nessas viagens ele ampliou seu conhecimento de línguas antigas (sânscrito, grego e hebraico), como menciona edição de HaMaguid de 1887:
“D. Pedro II, imperador do Brasil, é pessoa culta e estudada. Em suas horas livres ocupa-se do estudo do sânscrito, do grego, do hebraico e suas literaturas. Para este fim, ele leva consigo em suas viagens ao exterior muitos livros raros, escritos nessas línguas, despendendo horas em sua leitura”.
Em suas viagens costumava D. Pedro encontrar-se com intelectuais judeus de sua época, como Adolf Frank (1809-1893), primeiro professor judeu na Sorbonne, Israel Michel Rabinowitz (1818-1893), que traduziu parte do Talmud para o francês, Julius Opert (1825-1905), assiriologista muito conhecido na época, A.A.Neubauer (1831-1907), pesquisador de manuscritos hebraicos e diretor da biblioteca da Universidade de Oxford nos anos 1873-1900 e Moïse Schwab (1839-1918), diretor da Bibliothèque Nationale de Paris e tradutor do Talmud de Jerusalém para o francês.
Quando chegou D. Pedro a São Petersburgo em 1876, encontrou-se com A.A.Harkavi (1839-1919), diretor da Biblioteca Real, que era conhecido como pesquisador de manuscritos hebraicos antigos. D. Pedro manteve com ele longas discussões sobre os manuscritos que lá se encontravam.
Quando de seu exílio em Paris (1889-1891), manteve D. Pedro laços de amizade com intelectuais e escritores hebraístas e judeus.
Não é de surpreender que nessa época a visão aguçada de Ephraim Deynard (1846-1936), bibliógrafo e comerciante de manuscritos hebraicos, tenha atraído o mui-ilustrado imperador no exílio para oferecer-lhe manuscritos e livros hebraicos antigos.
Foi divulgada carta de Deynard a D. Pedro, na qual destaca o conhecimento da língua hebraica pelo imperador, o que o eternizaria:
“Desta forma Sua Majestade destacou-se e gravou seu nome, em letras luminosas, na história e no coração do povo do Deus de Abraão”.
E assim cumprimentou Deynard o imperador, em seu nome e em nome do povo de Israel:
“Esta saudação é-lhe dirigida por dezenas de milhares de filhos de Israel, pela grande honra que Sua Majestade conferiu a este povo antigo por ter estudado sua língua”.
Em suas viagens ao exterior costumava D. Pedro visitar sinagogas.
Consta que em 22 de setembro de 1876 esteve em visita à sinagoga de Odessa e impressionou-se com a bela melodia das orações.
Sobre as visitas de D. Pedro a sinagogas escreveu o historiador A.R.Malachi:
“Entrava incógnito e sentava-se junto à porta, como se fosse um visitante pobre.
Em algumas sinagogas, pensando que fosse judeu, quiseram dar-lhe a honra de ler na Torá (6) e, para tal, perguntaram-lhe seu nome e de seu pai.
Mas o visitante dizia a verdade, respondendo que não era judeu”.
Temos testemunhos de que D. Pedro costumava rezar em sinagogas, com o livro próprio de orações em hebraico.
Seguindo as instruções contidas no livro, certa vez na sinagoga de Bruxelas, soube quando levantar-se e o que dizer, acompanhando atentamente a liturgia.
Segundo outras fontes, cumpriu sim D. Pedro o ritual da “subida” à Torá, dizendo as respectivas bênçãos em hebraico e até mesmo traduzindo os versículos que havia lido.
Assim ocorreu em sua visita a Londres em 1871, na grande sinagoga da Great Portland Street, e também na sinagoga de Bruxelas.
Nesta última, diante do espanto geral dos circunstantes, declarou D. Pedro:
“Levarei comigo, em meu coração, o selo da Torá de Moisés, e suas palavras pairarão para sempre diante de meus olhos”.
Conta-se que também “subiu” à Torá na sinagoga da cidade de São Francisco, na Califórnia, e também lá demonstrou seu conhecimento através da tradução correta dos versículos que leu.
Discutiu, inclusive com os rabinos, sobre a importância da língua hebraica.
Em dezembro de 1876 visitou D. Pedro a Terra Santa, tendo participado com os judeus de Jerusalém das orações de sexta-feira à noite, junto ao Muro das Lamentações.
Foi provavelmente nesta viagem que adquiriu o imperador os rolos da Torá, recentemente redescobertos no Museu Nacional no Rio de Janeiro. (7)
Como dito, dominava D. Pedro II a língua hebraica, a ponto de manter conversação fluente.
Conta-se que no tempo em que foi imperador, convidou alguns líderes da comunidade judaica brasileira a seu palácio.
Quando se apresentaram, com todo o respeito devido a Sua Majestade, este dirigiu-se a eles em hebraico.
O espanto dos líderes judeus foi grande:
Por não entenderem palavra do que o imperador lhes dizia e porque não poderiam supor que Sua Majestade se dirigiria a eles em hebraico.
Passada a surpresa, o imperador repreendeu-os:
“Que judeus são vocês, que não compreendem a língua de seus antepassados ?!”
D. Pedro faleceu em Paris em 5 de dezembro de 1891.
Na eulogia publicada no jornal HaTsfirá (A Sirene), editado em Varsóvia na língua hebraica, escreveu Israel Isser Goldblum (1863-1925) sobre a vasta cultura de D. Pedro II e seu especial interesse pela língua hebraica, tendo sido salientado o fato de o imperador do Brasil saber e falar fluentemente o hebraico:
“Bem aventurados aqueles que viram D. Pedro II, Imperador do Brasil, e ouviram-no falar na língua sagrada.
Bem aventurados todos aqueles que o saudaram e foram por ele saudados”.
Notas dos tradutores:
(1) Hagadá de Pessach: Texto que descreve o êxodo dos judeus do Egito, lido anualmente na Páscoa judaica.
(2) Brit Milá: Cerimônia de circuncisão.
(3) Purim: Festival anual que comemora a salvação dos judeus no exílio persa.
(4) Sokolov, Nahum (1861-1936): Decano dos jornalistas e escritores israelenses.
(5) Poésies Hébraïco-Provençales du Rituel Israélite Comtadin. Traduites et Transcrites par S.M. Dom Pedro II D’Alcantara, Empereur du Brésil. Avignon 1891. (Cf. Elias Lipiner, 1916-1998, escritor brasileiro-israelense, em seu texto “Imperador do Brasil e Amante do Hebraico” publicado no mensário “Am VaSefer” [Povo e Livro], Israel, fev/1966)
(6) Torá: Rolos de pergaminho contendo a história e as leis básicas do povo judeu, lidos ao longo de cada ano.
(7) Pesquisadores consideram estes rolos da Torá como dos mais antigos existentes, remontando ao século XIV ou XV. Foram tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e encontram-se em exibição no Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, Rio de Janeiro.
 

quarta-feira, 13 de julho de 2011

A Copa 2014 vem aí! E os negócios?

O Brasil começa a se preparar para a Copa de 2014, tanto com a seleção de futebol, como em relação aos diversos negócios que surgirão com o mega evento que seá realizado em 12 (doze) cidades sede.
Obras serão realizadas, tanto em estádios novos, ou remodelados, em diversos itens de infra-estrutura. Mas e os negócios que daí poderão surgir? Quais áreas serão mais promissoras?
Para responder às perguntas relacionadas com negócios que poderão ser explorados antes, durante e depois da Copa do Mundo de 2014, o SEBRAE realizou estudo, onde são apontados os segmentos mais promissores. Setores foram identificados pelo SEBRAE e serão estudados pela  FGV- Fundação Getúlio Vargas, a saber: Construção civil, Tecnologia da informação, Turismo, Produção associada ao turismo, Comércio varejista, Serviços, Vestuário, Madeira e móveis e Agronegócio.

Estimativas da Ernest & Young, em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV), apontam que o valor investido em obras de infraestrutura e organização do País será da ordem de R$ 22,46 bilhões. Adicionalmente, a competição deverá injetar R$ 112,79 bilhões na economia brasileira, com a produção em cadeia de efeitos diretos, indiretos e induzidos. Estima-se que, no período de
2010 a 2014, sejam movimentados R$ 142,39 bilhões adicionais no País. Apenas para o setor de tecnologia da informação (TI), serão necessários investimentos de R$ 309 milhões para acomodar o grande fluxo de dados associado ao megaevento.
O estudo completo do SEBRAE pode ser lido no documento "Copa do Mundo FIFA 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas  Cidades-Sede - Resumo executivo Brasil". Não perca a oportunidade!

sábado, 9 de julho de 2011

Combate aos germes em roupas

Atenção alérgicos!!!!!

De acordo com a BBC, um novo tratamento anti-microbial foi desenvolvido por cientistas da Universidade da Georgia. Trata-se de um spray capaz de matar qualquer germe presente em tecidos, que podem causar doenças ou odores desagradáveis.
Eles garantem que o líquido pode ser aplicado tanto em fibras naturais como sintéticas, sejam elas roupas, tapetes, sapatos e até plastico. Nos testes, o produto também foi capaz de impedir a reprodução das bactérias e nem perdeu suas características mesmo após várias lavagens.
"A proliferação de bactérias em tecidos e plásticos é uma preocupação crescente, especialmente em hospitais e hotéis, que são ambientes perfeitos para o desenvolvimento desses microorganismos", disse o Dr. Jason Locklin, um dos responsáveis pelo projeto, à BBC.
Outros produtos similares já existem no mercado, mas a expectativa é que esse spray tenha um preço acessível para a maior parte da população.
Fonte: Olhar Digital

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Radioembolização para pacientes com câncer primário de fígado inoperável

Os resultados da análise multi-centro Rede Europeia de Radioembolização com microesferas de resina de ítrio-90 (ENRY - European Network on Radioembolization with Yttrium-90 resin microspheres) dos resultados de longo prazo relacionados com a sobrevivência e com a segurança da radioembolização usando esferas de resina (SIR-spheres) em pacientes com tumores primários inoperáveis no fígado foram publicados hoje na Hepatology, uma revista revisada por pares da Associação Americana para o Estudo das Doenças do Fígado (American Association of the Study of Liver Diseases).
A avaliação de 325 pacientes com câncer primário de fígado inoperável (carcinoma hepatocelular irressecável), que foram tratados por equipes de especialistas em fígado, oncologistas, radiologistas intervencionais e médicos de medicina nuclear em oito centros na Alemanha, Itália e Espanha, forneceu "provas robustas dos resultados
de sobrevivência alcançados com a radioembolização, incluindo pacientes com doença avançada e poucas opções de tratamento", disse Bruno Sangro, MD, PhD, Professor de Hepatologia na Unidade do Fígado da Universidade Clínica de Navarra, Pamplona, Espanha, e presidente do grupo ENRY.
Sobre o carcinoma hepatocelular
O carcinoma hepatocelular (CHC) ocorre em pessoas cujos fígados se tornam gravemente danificados ou cirróticos, devido a condições tais como a hepatite e alcoolismo. É um entre os dez cânceres mais comuns em todo o mundo, com quase 750.000 casos diagnosticados anualmente, e a terceira principal causa de mortes por câncer. A doença ocorre com maior frequência em regiões onde a hepatite é diagnosticada com mais frequência, tais como a região Ásia-Pacífico e Sul da Europa.
O câncer hepatocelular pode ser curado somente através de cirurgia, ou pela resseção das partes do fígado afetadas pela doença, ou através de transplante de fígado de um doador saudável. Entretanto, estas intervenções são inapropriadas para a grande maioria dos pacientes, cuja sobrevivência pode variar de poucos meses a dois ou mais anos, dependendo amplamente do estado de seus fígados na época do diagnóstico e da extensão da invasão do tumor.
Descobertas da avaliação ENRY
A maioria dos pacientes (82,5%) avaliados pelo grupo ENRY tinha doença hepática que estava razoavelmente bem compensada (Child-Pugh classe A), com cirrose associada (78,5%) e bom status de desempenho na escala ECOG (ECOG 0-1: 87,7%). Porém, muitos deles tinham múltiplos nódulos tumorais (75,9%), com a doença presente em ambos lóbulos do fígado (53,1%) e/ou oclusão da veia porta (o vaso que transporta sangue do trato gastrintestinal para o fígado) ou em uma parte da veia (13,5%) ou no vaso principal (9,8%).
Mais de 40 por cento dos pacientes (41,5%) obtiveram progresso seguindo um ou mais outros tratamentos antes de receberem radioembolização com esferas de resina (microesferas de resina de ítrio-90; Sirtex Medical Limited, Sydney, Austrália), incluindo cirurgia ou transplante de fígado, procedimentos percutâneos tais como injeção de etanol ou ablação por radiofrequência de tumores individuais do fígado, ou procedimentos vasculares tais como embolização transarterial (TAE) ou quimioembolização (TACE) que bloqueiam as artérias do fígado que nutrem os tumores.
Usando os critérios de estadiamento Barcelona Clinic Liver Cancer (BCLC), a vasta maioria dos pacientes avaliados pelo grupo ENRY possuía a doença avançada (BCLC C: 56,3%) ou intermediária (BCLC B: 26,8%).
Os pacientes que receberam a radioembolização (também chamada de terapia de radiação interna seletiva ou SIRT - selective internal radiation therapy) receberam uma dose mediana de 1,6 GBq de microesferas de resina de ítrio-90 emissoras de radiação beta, predominantemente como procedimento único por meio transarterial para o fígado por um cateter através das artérias femoral e hepática. A sobrevivência geral mediana dos pacientes tratados com SIRT e avaliados pelo grupo ENRY foi de 12,8 meses. A sobrevivência variou significativamente por estágio da doença: 24,4 meses para pacientes no estágio BCLC A; 16,9 meses no BCLC B e 10,0 meses no BCLC C.
"Como o ENRY não foi um estudo prospectivo, nossas descobertas devem ser interpretadas de maneira conservadora", explicou o Professor Sangro. "O que podemos dizer, com base em nossa avaliação de uma grande série de pacientes com CHC tratados em consultórios de rotina, é que a radioembolização usando esferas de resina visa diretamente os tumores e poupa tecidos viáveis do fígado, o que nos permite reduzir a carga da doença e aumentar potencialmente tanto a sobrevivência do paciente quanto sua qualidade de vida. O maior benefício da sobrevivência pode ser esperado naqueles pacientes com melhor status de desempenho, menos nódulos tumorais e nenhuma oclusão da veia porta.
"Também ficou claro, a partir de nossa análise", ele acrescentou, "que a radioembolização pode ser particularmente útil em quatro populações específicas de pacientes. Estas incluem, primeiramente, pacientes que poderiam de outra forma serem considerados para TACE mas podem beneficiar-se mais das esferas de resina; pacientes que são candidatos deficientes para TACE devido ao alto número de nódulos tumorais (>5) ou espalhados por ambos lóbulos do fígado; pacientes que não tiveram resultados anteriores com TACE e, por fim, pacientes que não são elegíveis para TACE devido à oclusão da veia porta. Estes pacientes possuem poucas outras opções de tratamento".
Outras opções de tratamento que demonstraram estender a sobrevivência para pacientes com CHC inoperável incluem TACE, que requer repetidos procedimentos intervencionais e hospitalizações devido à resultante síndrome pós-embolização; e o sorafenibe, um medicamento oral administrado duas vezes por dia o qual pode causar efeitos colaterais que levam à descontinuação do medicamento em mais de um terço dos pacientes (38%).
A colaboração ENRY descobriu que a radioembolização foi muito bem tolerada por estes pacientes já adoentados. Mais da metade (54,5%) sofreram de fadiga; cerca de um terço (32,0%) reportaram náusea ou vômito; enquanto que um pouco mais de um quarto (27,1%) reportaram dor abdominal e um em dez pacientes apresentaram febre moderada. Estes sintomas foram transitórios em todos os casos.
Um número muito pequeno de pacientes (3,7%) sofreram de úlcera gastrintestinal, que pode ocorrer quando algumas microesferas inadvertidamente passam por uma artéria gástrica.
"Com base na avaliação ENRY", concluiu o Professor Sangro, "acreditamos que a radioembolização merece o uso de rotina em um número de pacientes com câncer primário de fígado. A radioembolização também pode ser uma opção sinergética quando combinada com tratamentos farmacêuticos mais recentes, tais como o inibidor da tirosina-quinase, sorafenibe".
Médicos e pacientes interessados em participar em um dos dois testes randomizados controlados iniciados recentemente de radioembolização usando esferas de resina, podem obter mais informações nos endereços: 
http://www.soramic.de - o teste SORAMIC (http://www.clinicaltrials.gov identificador NCT01126645) está sendo conduzido na Europa usando esferas de resina combinadas com sorafenibe comparadas com somente sorafenibe em pacientes com CHC; 
http://www.sirvenib.com – o teste SIRveNIB (http://www.clinicaltrials.gov identificador NCT01135056) está sendo conduzido na Região Ásia-Pacífico e compara as esferas de resina com o sorafenibe em pacientes com CHC. 
Para informações adicionais
As esferas de resina estão aprovadas para uso na Austrália, na União Europeia (Marcação CE), Nova Zelândia, Suíça, Turquia e diversos outros países para tratamento de tumores irressecáveis do fígado. As esferas de resina foram também inteiramente aprovadas pela FDA e são indicadas nos Estados Unidos para tratamento de tumores metastáticos irressecáveis do fígado desde câncer colorretal primário em combinação com quimioterapia hepática intra-arterial usando floxuridina. Imagens para baixar, informações de base para a mídia, um vídeo do modo de ação e materiais adicionais de apoio estão disponíveis on-line no endereço http://www.SIRTnewsroom.com
Referências: 
1. Sangro B, Carpanese L, Cianni R et al em nome da Rede Europeia de Radioembolização com microesferas de resina de ítrio-90 (ENRY - European Network on Radioembolization with Yttrium-90 resin microspheres). Survival after 90Y resin microsphere radioembolization of hepatocellular carcinoma across BCLC stages: A European evaluation. Hepatology 2011; ePub doi: 10.1002/hep.24451.
2. GLOBOCAN. Liver Cancer Incidence and Mortality Worldwide in 2008. http://globocan.iarc.fr/factsheets/cancers/liver.asp acessado em 28
de junho de 2011.
3. Llovet J, Ricci S, Mazzaferro V et al para o Grupo de Estudo de Investigadores SHARP. Sorafenib in advanced hepatocellular carcinoma. New England Journal of Medicine 2008; 359: 378-390.

Fontes: ENRY Trialists; PR News Wire Brasil

Observatório desafia física pós-Einstein

O Telescópio de Raios Gama Integral, da Agência Espacial Europeia, revelou novos resultados que vão afetar drasticamente a busca pela chamada "física pós-Einstein".
Os dados do observatório espacial mostraram que qualquer "granulação" quântica do espaço deve ter uma escala muito menor do que se previa.
Os dados do observatório espacial mostraram que qualquer "granulação" quântica do espaço deve ter uma escala muito menor do que se previa.
O GRB 041219A ocorreu em 19 de dezembro de 2004 e foi imediatamente classificado no topo da lista dos GRBs em brilho.[Imagem ao lado: ESA/SPI Team/ECF]
O Telescópio de Raios Gama Integral, da Agência Espacial Europeia, revelou novos resultados que vão afetar drasticamente a busca pela chamada "física pós-Einstein".
Os dados do observatório espacial mostraram que qualquer "granulação" quântica do espaço deve ter uma escala muito menor do que se previa.
Granularidade do espaço
A Teoria Geral da Relatividade de Einstein descreve as propriedades da gravidade e assume que o espaço é um tecido suave e contínuo.
No entanto, a teoria quântica sugere que o espaço deve ser granulado quando visto em uma escala suficientemente pequena, como a areia em uma praia.
Uma das maiores ocupações dos físicos na atualidade está na tentativa de casar estes dois conceitos, criando uma única teoria da gravitação quântica.
Agora, o Integral colocou novos limites muito mais rigorosos para o tamanho desses "grãos" quânticos no espaço, mostrando que eles devem ser muito menores do que algumas ideias sobre a gravidade quântica vinham sugerindo.
Polarização da luz
Segundo os cálculos, os minúsculos grãos poderiam afetar a forma com que os raios gama viajam pelo espaço.
Os grãos devem "torcer" os raios de luz, mudando a direção na qual eles oscilam - uma propriedade chamada polarização.
Os raios gama de alta energia devem ser torcidos mais do que os raios gama de energias mais baixas, e a diferença na polarização pode ser usada para estimar o tamanho dos grânulos do espaço.
Explosão de raios gama
Philippe Laurent e seus colegas usaram dados do instrumento IBIS, a bordo do observatório Integral, para procurar diferenças de polarização entre raios gama de alta e baixa energia, emitidos durante uma das mais poderosas explosões de raios gama (GRBs) já vistas.
As GRBs vêm de algumas das explosões mais energéticas conhecidas no Universo. Acredita-se que a maioria delas ocorra quando estrelas muito maciças, durante uma supernova, colapsam para formar estrelas de nêutrons ou buracos negros.
Esse colapso gera um gigantesco pulso de raios gama, com duração de poucos segundos até alguns minutos - mas, durante esse tempo, o pulso ofusca o brilho de galáxias inteiras.
O GRB 041219A ocorreu em 19 de dezembro de 2004 e foi imediatamente classificado no topo da lista dos GRBs em brilho. Ele foi tão brilhante que o Integral foi capaz de medir a polarização dos seus raios gama com precisão.
Tamanho dos grãos do espaço
Os cientistas então procuraram diferenças na polarização a diferentes energias, mas não encontraram nenhuma dentro dos limites de precisão dos dados.
Algumas teorias sugerem que a natureza quântica do espaço - sua "granularidade" - deve manifestar-se na chamada escala de Planck: a 10-35 metro. Para comparação, um milímetro, a menor divisão que se pode ver em uma régua escolar, equivale a 10-3 metro.
No entanto, as observações do Integral são cerca de 10.000 vezes mais precisas do que qualquer medição anterior e mostram que qualquer grão quântico deve estar na casa dos 10-48 metro ou menor.
"Este é um resultado muito importante em física fundamental e descarta algumas teorias das cordas e teorias da gravidade quântica em loop," afirmou o Dr. Laurent.
Agora, a bola volta para os teóricos, que deverão reexaminar suas teorias à luz deste novo dado.
As observações do Integral são cerca de 10.000 vezes mais precisas do que qualquer medição anterior e mostram que qualquer grão quântico deve estar na casa dos 10-48 metro ou menor. [Imagem ao lado: ESA/Medialab]
Explosão de raios gama
Philippe Laurent e seus colegas usaram dados do instrumento IBIS, a bordo do observatório Integral, para procurar diferenças de polarização entre raios gama de alta e baixa energia, emitidos durante uma das mais poderosas explosões de raios gama (GRBs) já vistas.
As GRBs vêm de algumas das explosões mais energéticas conhecidas no Universo. Acredita-se que a maioria delas ocorra quando estrelas muito maciças, durante uma supernova, colapsam para formar estrelas de nêutrons ou buracos negros.
Esse colapso gera um gigantesco pulso de raios gama, com duração de poucos segundos até alguns minutos - mas, durante esse tempo, o pulso ofusca o brilho de galáxias inteiras.
O GRB 041219A ocorreu em 19 de dezembro de 2004 e foi imediatamente classificado no topo da lista dos GRBs em brilho. Ele foi tão brilhante que o Integral foi capaz de medir a polarização dos seus raios gama com precisão.
Tamanho dos grãos do espaço
Os cientistas então procuraram diferenças na polarização a diferentes energias, mas não encontraram nenhuma dentro dos limites de precisão dos dados.
Algumas teorias sugerem que a natureza quântica do espaço - sua "granularidade" - deve manifestar-se na chamada escala de Planck: a 10-35 metro. Para comparação, um milímetro, a menor divisão que se pode ver em uma régua escolar, equivale a 10-3 metro.
No entanto, as observações do Integral são cerca de 10.000 vezes mais precisas do que qualquer medição anterior e mostram que qualquer grão quântico deve estar na casa dos 10-48 metro ou menor.
"Este é um resultado muito importante em física fundamental e descarta algumas teorias das cordas e teorias da gravidade quântica em loop," afirmou o Dr. Laurent.
Agora, a bola volta para os teóricos, que deverão reexaminar suas teorias à luz deste novo dado.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Atitude é tudo!!!!

Uma mulher acordou uma manhã após a quimioterapia, olhou no espelho e percebeu que tinha somente três fios de cabelo na cabeça.
- Bom (ela disse), acho que vou trançar meus cabelos hoje.
Assim ela fez e teve um dia maravilhoso.
No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e viu que tinha somente dois fios de cabelo na cabeça...
- Hummm (ela disse), acho que vou repartir meu cabelo no meio hoje.
Assim ela fez e teve um dia magnífico.
No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e percebeu que tinha apenas um fio de cabelo na cabeça.
- Bem (ela disse), hoje vou amarrar meu cabelo como um rabo de cavalo.
Assim ela fez e teve um dia divertido.
No dia seguinte ela acordo, olhou no espelho e percebeu que não havia um único fio de cabelo na cabeça.
- Yeeesss... (ela exclamou), hoje não tenho que pentear meu cabelo.
ATITUDE É TUDO!
Seja mais humano e agradável com as pessoas.
Cada uma das pessoas com quem você convive está travando algum tipo de batalha.
Viva com simplicidade.
Ame generosamente.
Cuide-se intensamente.
Fale com gentileza.
E, principalmente, não reclame.
Se preocupe em agradecer pelo que você é, e por tudo o que tem!
E deixe o restante com Deus...

terça-feira, 5 de julho de 2011

Atitudes que podem prejudicar a evolução no trabalho

Já diz o dito popular que um sorriso abre portas, mas, sorrir demais, segundo alertam os especialistas, pode passar uma imagem negativa, de falsidade, e acabar prejudicando a evolução profissional dentro da empresa. “Pessoas que ficam sorrindo o tempo todo e demonstrando disponibilidade de forma exagerada podem passar uma imagem de falsidade”, diz a consultora de planejamento de carreira da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Karla Mara Alves de Oliveira.
Outra atitude tida como positiva, mas que, se for exagerada, pode acabar impactando de forma negativa os profissionais é o excesso de proatividade, que pode levar as pessoas a enxergarem este profissional como intrometido. “Ser resiliente e proativo demais, querer saber de tudo, participar de tudo o que acontece na empresa, além de dar uma impressão negativa, pode fazer com que o profissional acabe deixando de lado as obrigações pelas quais ele é de fato responsável, o que torna o comportamento prejudicial para a carreira”, explica a consultora em carreira da De Bernt Entschev Human Capital, Gizelle Marques.
Extremos
Ainda segundo Gizelle, qualquer comportamento extremo é prejudicial para a evolução da carreira. Assim, quem sempre coloca o trabalho em primeiro lugar, como aqueles que nunca abrem exceções na vida particular para resolver questões profissionais, são mal vistos por gestores e líderes.
Neste sentido também, de exageros, ela destaca a excessiva resistência ao novo e a busca interminável por feedbacks. “Na tentativa de acertar, de conseguir uma melhor colocação na empresa, as pessoas acabam exacerbando comportamento. Há aqueles que buscam o tempo todo por feedback, que querem sempre saber qual é o próximo passo para chegarem a outro patamar, por exemplo. Tais atitudes podem demonstrar ambição exagerada, impaciência para cumprir as etapas da evolução da carreira”.
Outras atitudes
Além das ações positivas, que, quando exageradas, tornam-se negativas, Karla lembra ainda das atitudes que sempre são tidas como negativas e acabam contando pontos a menos para o profissional:
- Comprometer-se e não cumprir;
- Falar mal de antigos chefes e empresas;
- Não saber ouvir a opinião de terceiros;
- Não saber lidar com críticas;
- Querer aparecer mais que os outros membros da equipe;
- Ser inflexivo e agressivo;
- Ser centralizador;
- Não cuidar da aparência pessoal;
- Mostrar-se inseguro, desinteressado e não saber olhar a empresa como um todo.
Além da empresa
As especialistas lembram ainda que é um erro focar-se somente no emprego atual, esquecendo-se da empregabilidade. De acordo com elas, é preciso prestar atenção ao mercado e procurar se atualizar, para não sabotar a própria carreira.
Neste sentido, lembram, é essencial manter o networking, sendo um erro demonstrar-se preconceituoso, não sustentar as amizades e mostrar-se interesseiro, procurando as pessoas apenas quando precisa de algo.

Fonte: InfoMoney

Meu canal de slides