domingo, 19 de junho de 2011

7 Práticas que você pode fazer durante as dificuldades

“Não importa o quão bom, realizado e eficiente você for, haverá momentos em que você ficará sobrecarregado por alguma coisa negativa, chata e perturbadora.”
Confira algumas dicas práticas que você pode fazer para continuar e superar esses tempos difíceis:
1. Reconhecer que as regras normais não se aplicam para o momento
Às vezes temos uma longa lista de tarefas para cumprir mas temos dificuldades para completar até as pequenas tarefas.
Ao invés de negar essa realidade, aceite e faça alguns ajustes temporários.
2. Concentrar em tarefas essenciais, e cortar todo o resto
Não pense no “Should-Do List” (Lista que devo fazer), mas no “Must-Do-To-Survive List” (Lista que deve fazer para sobreviver).
Coloque as suas atividades normais em espera e tente lidar com o que vem imediatamente após isso.
3. Ter um bom descanso
Quando você já está estressado por não ter tempo suficiente para fazer tudo, descansar pode ser um contra-senso. Mas se você não descansar o suficiente, a situação pode se transformar rapidamente de mal a pior.
Nutrir e estimular o seu corpo com o descanso é extremamente importante se você quiser ser produtivo durante um momento difícil.
4. Pedir ajuda
Faça as coisas óbvias (mais as difíceis) e saiba pedir ajuda: o trabalho delegado aos seus colaboradores e sua família e amigos para obter assistência. Seu verdadeiros aliados ficarão felizes em ajudá-lo quando você está em uma fase difícil: Dê a chance de fazer algo de bom, e eles ajudarão.
5. Foco no positivo, sempre que possível
Geralmente os erros afastam o pensamento positivo. Tente não ceder a isso. Em alguns casos,ouvir coisas boas de alguém próximo pode ser um alívio.
Não seja tímido: Se você precisa de um impulso moral, gentilmente peça. Você sabe muito bem para quem pedir, por que não fazer isso?
“Seus verdadeiros aliados ficarão felizes em ajudá-lo quando você está em um ponto difícil: dê a eles essa chance.”
6. Recomeçar/Reiniciar
Quando parecer que os tempos difíceis estão terminando, aproveite o momento e decida como você pode fazer melhorar daqui para frente.
7. Agradecer
Depois que a tempestade passou e o sol começa a brilhar novamente, não se esqueça das pessoas que te ajudaram na sua necessidade. Faça disso uma prioridade, mostre gratidão para aqueles que tomaram conta de você.

Imagens do Rio de Janeiro

Maravilhosas tomadas aéreas do Rio de Janeiro e de seus principais pontos turísticos.

O trabalho enobrece e ocupando a mente desvia-se da má conduta

Na nobre tarefa de educar os filhos, é muito comum vermos os pais pouparem as crianças e jovens de colaboração na manutenção da organização e limpeza do lar.
Não nos passará pela mente, em realidade, que os pequenos ou jovens devam, quando não houver necessidade, ser postos para que realizem trabalhos pesados, que lhes absorvam as horas de estudo e aprimoramento de si mesmos.
Invocamos as possibilidades de aprenderem a arte de auxiliar, de prestar colaboração, o que, a cada dia, se torna mais raro.
São muitas as mães que se transformam em serviçais de seus filhos, não para que cresçam, mas, para que se encharquem nos caldos de terrível egoísmo, sem que aprendam, nos dons do amor, a se fazerem úteis.
Onde está o problema de ensinar-se aos pequenos a esticar a cama donde se levantaram?
Onde está a dificuldade de fazer-lhes atender a essa ou àquela pequena higiene doméstica?
Onde está a impossibilidade de que aprendam a pregar um botão ou costurar uma bainha?
Como ignorar que é importante para os jovens lavar ou passar uma peça do vestuário, para si ou para alguém que precise?
Por que tanto constrangimento em ensinar ao jovem, rapaz ou moça, a passar um café ou preparar um arroz, considerando-se a honra da cooperação fraterna?
Identificamos muitos filhos que se tornaram incapazes pelos caminhos, em razão da displicência ou descaso dos que lhes deviam educação.
Não os deveremos preparar para os tempos de facilidade e abastança, mas para os dias de necessidade e carência, de modo que a incapacidade não os mutile, desnecessariamente.
Pensemos na educação que estamos oferecendo aos nossos filhos, em como os devemos educar para o mundo.
O lar é a primeira escola. É onde serão aprendidos todos os valores.
Da mesma forma que nos esmeramos para oferecer a melhor educação escolar aos nossos filhos, lembremos de ofertar-lhes a educação cristã, plantando neles a semente da cooperação.
Os membros de uma família devem se sentir incentivados a se ajudarem mutuamente, sempre que necessário.
Evoquemos o Divino Mestre, na carpintaria do Pai, cooperando.
Coloquemos a luz do Evangelho em seus corações sem deixarmos, contudo, de lhes ocuparmos as mãos, ainda que seja nos pequenos afazeres domésticos ou da oficina, pois ajudar no trabalho do bem, onde quer que ele apareça, é também evangelização.

Meu canal de slides