sábado, 30 de maio de 2009

Sobre alho e azeite

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Para quem gosta da Bolsa

Para quem gosta de investir na bolsa, vale a pena ler o artigo em http://tinyurl.com/mplj4p.

Você está demitido!

Reproduzo a seguir artigo escrito por Stephen Kanitz, publicado na Revista Veja, edição 1726, ano 34, nº 45, em 14 de novembro de 2001. Muito interessante e atual!
Você é diretor de uma indústria de geladeiras. O mercado vai de vento em popa e a diretoria decidiu duplicar o tamanho da fábrica. No meio da construção, os economistas americanos prevêem uma recessão, com grande alarde na imprensa.
A diretoria da empresa, já com um fluxo de caixa apertado, decide, pelo sim, pelo não, economizar 20 milhões de dólares. Sua missão é determinar onde e como realizar esse corte nas despesas.
Esse é o resumo de um dos muitos estudos de caso que tive para resolver no mestrado de administração, que me marcou e merece ser relatado. O professor chamou um colega ao lado para começar a discussão. O primeiro tem sempre a obrigação de trazer à tona as questões mais relevantes, apontar as variáveis críticas, separar o joio do trigo e apresentar um início de solução.
"Antes de mais nada, eu mandaria embora 620 funcionários não essenciais, economizando 12.200.000 dólares. Postergaria, por seis meses os gastos com propaganda, porque nossa marca é muito forte. Cancelaria nossos programas de treinamento por um ano, já que estaremos em compasso de espera. Finalmente, cortaria 95% de nossos projetos sociais, afinal nossa sobrevivência vem em primeiro lugar".
É exatamente isso que as empresas brasileiras estão fazendo neste momento, muitas até premiadas por sua "responsabilidade social".
Terminada a exposição, o professor se dirigiu ao meu colega e disse:
- Levante-se e saia da sala.
- Desculpe professor, eu não entendi - disse John, meio aflito.
- Eu disse para sair desta sala e nunca mais voltar. Eu disse: PARA FORA! Nunca mais ponha os pés aqui em Harvard.
Ficamos todos boquiabertos e com os cabelos em pé. Nem um suspiro. Meu colega começou a soluçar e, cabisbaixo, se preparou para deixar a sala. O silêncio era sepulcral. Quando estava prestes a sair, o professor fez seu último comentário:
- Agora vocês sabem o que é ser despedido. Ser despedido sem mostrar nenhuma deficiência ou incompetência, mas simplesmente porque um bando de prima-donas em Washington meteu medo em todo mundo.
Nunca mais na vida despeçam funcionários como primeira opção. Despedir gente é sempre a última alternativa.
Aquela aula foi uma lição e tanto.
É fácil despedir 620 funcionários como se fossem simples linhas de uma planilha eletrônica, sem ter de olhar cara a cara para as pessoas demitidas.
É fácil sair nos jornais prevendo o fim da economia ou aumentar as taxas de juros para 25% quando não é você quem tem de despedir milhares de funcionários nem pagar pelas conseqüências.
Economistas, pelo jeito, nunca chegam a estudar casos como esse nos cursos de política monetária.
Se você decidiu reduzir seus gastos familiares "só para se garantir", também estará despedindo pessoas e gerando uma recessão.
Se todas as empresas e famílias cortarem seus gastos a cada previsão de crise, criaremos crises de
fato, com mais desemprego e mais recessão.
A solução para crises é reservas e poupança, poupança previamente acumulada.
O correto é poupar e fazer reservas públicas e privadas, nos anos de vacas gordas para não ter de despedir pessoas nem reduzir gastos nos anos de vacas magras, conselho milenar. Poupar e fazer caixa no meio da crise é dar um tiro no pé.
Demitir funcionários contratados a dedo, talentos do presente e do futuro, é suicídio.
Se todos constituíssem reservas, inclusive o governo, ninguém precisaria ficar apavorado, e manteríamos o padrão de vida, sem cortar despesas.
Se a crise for maior que as reservas, aí não terá jeito, a não ser apertar o cinto, sem esquecer aquela memorável lição: na hora de reduzir custos, os seres humanos vêm em último lugar.

Você está demitido!

Reproduzo a seguir artigo escrito por Stephen Kanitz, publicado na Revista Veja, edição 1726, ano 34, nº 45, em 14 de novembro de 2001. Muito interessante e atual!
Você é diretor de uma indústria de geladeiras. O mercado vai de vento em popa e a diretoria decidiu duplicar o tamanho da fábrica. No meio da construção, os economistas americanos prevêem uma recessão, com grande alarde na imprensa.
A diretoria da empresa, já com um fluxo de caixa apertado, decide, pelo sim, pelo não, economizar 20 milhões de dólares. Sua missão é determinar onde e como realizar esse corte nas despesas.
Esse é o resumo de um dos muitos estudos de caso que tive para resolver no mestrado de administração, que me marcou e merece ser relatado. O professor chamou um colega ao lado para começar a discussão. O primeiro tem sempre a obrigação de trazer à tona as questões mais relevantes, apontar as variáveis críticas, separar o joio do trigo e apresentar um início de solução.
"Antes de mais nada, eu mandaria embora 620 funcionários não essenciais, economizando 12.200.000 dólares. Postergaria, por seis meses os gastos com propaganda, porque nossa marca é muito forte. Cancelaria nossos programas de treinamento por um ano, já que estaremos em compasso de espera. Finalmente, cortaria 95% de nossos projetos sociais, afinal nossa sobrevivência vem em primeiro lugar".
É exatamente isso que as empresas brasileiras estão fazendo neste momento, muitas até premiadas por sua "responsabilidade social".
Terminada a exposição, o professor se dirigiu ao meu colega e disse:
- Levante-se e saia da sala.
- Desculpe professor, eu não entendi - disse John, meio aflito.
- Eu disse para sair desta sala e nunca mais voltar. Eu disse: PARA FORA! Nunca mais ponha os pés aqui em Harvard.
Ficamos todos boquiabertos e com os cabelos em pé. Nem um suspiro. Meu colega começou a soluçar e, cabisbaixo, se preparou para deixar a sala. O silêncio era sepulcral. Quando estava prestes a sair, o professor fez seu último comentário:
- Agora vocês sabem o que é ser despedido. Ser despedido sem mostrar nenhuma deficiência ou incompetência, mas simplesmente porque um bando de prima-donas em Washington meteu medo em todo mundo.
Nunca mais na vida despeçam funcionários como primeira opção. Despedir gente é sempre a última alternativa.
Aquela aula foi uma lição e tanto.
É fácil despedir 620 funcionários como se fossem simples linhas de uma planilha eletrônica, sem ter de olhar cara a cara para as pessoas demitidas.
É fácil sair nos jornais prevendo o fim da economia ou aumentar as taxas de juros para 25% quando não é você quem tem de despedir milhares de funcionários nem pagar pelas conseqüências.
Economistas, pelo jeito, nunca chegam a estudar casos como esse nos cursos de política monetária.
Se você decidiu reduzir seus gastos familiares "só para se garantir", também estará despedindo pessoas e gerando uma recessão.
Se todas as empresas e famílias cortarem seus gastos a cada previsão de crise, criaremos crises de
fato, com mais desemprego e mais recessão.
A solução para crises é reservas e poupança, poupança previamente acumulada.
O correto é poupar e fazer reservas públicas e privadas, nos anos de vacas gordas para não ter de despedir pessoas nem reduzir gastos nos anos de vacas magras, conselho milenar. Poupar e fazer caixa no meio da crise é dar um tiro no pé.
Demitir funcionários contratados a dedo, talentos do presente e do futuro, é suicídio.
Se todos constituíssem reservas, inclusive o governo, ninguém precisaria ficar apavorado, e manteríamos o padrão de vida, sem cortar despesas.
Se a crise for maior que as reservas, aí não terá jeito, a não ser apertar o cinto, sem esquecer aquela memorável lição: na hora de reduzir custos, os seres humanos vêm em último lugar.

Em busca de pacientes fiéis

Veja Online publicou há tempos a matéria abaixo reproduzida. vale a pena uma leitura.
Manter os portadores de doenças crônicas fiéis ao tratamento é um desafio da medicina. O controle de males como osteoporose, diabetes, hipertensão, colesterol alto, depressão, entre outros, exige grande dedicação dos pacientes. Requer hábitos de vida regrados e, na maioria dos casos, doses repetidas de mais de um medicamento. Segundo a Organização Mundial de Saúde, a adesão média às terapias de longo prazo é de apenas 30%. Para reverter esse quadro, a indústria farmacêutica investe na criação de alternativas que facilitem a vida dos pacientes e reduzam os custos de um tratamento.
Uma primeira estratégia consiste em desenvolver substâncias cujo efeito seja de duração cada vez maior. O Prozac Durapac, que passou a ser vendido em 2001 pelo laboratório Eli Lilly, foi pioneiro nesse campo. Sua dose é semanal. Indicado para quem tem os sintomas de depressão estabilizados mas precisa prosseguir no tratamento por tempo indeterminado, ele aumentou em 10% a participação dos doentes no controle de seu mal. O Bonviva, que trata a osteoporose com apenas uma dose mensal, também pertence a esse grupo. E existe ainda o Lantus, que ajuda a manter os níveis de insulina do organismo estáveis por até 24 horas. Graças a ele, caiu 30%, em média, o número de injeções que os diabéticos insulino-dependentes tomam todos os dias.
A outra frente de pesquisa da indústria é juntar num único medicamento dois princípios ativos distintos. Uma novidade importante é o Caduet, que começa a ser comercializado ainda neste mês no Brasil. O remédio do laboratório Pfizer é o primeiro a tratar, ao mesmo tempo, o colesterol alto e a hipertensão – dois dos principais fatores de risco para os distúrbios cardiovasculares. O Caduet junta num único comprimido os princípios ativos do anti-hipertensivo Norvasc e do redutor de colesterol Lípitor. Quase 65 milhões de pessoas que têm as duas doenças diagnosticadas no mundo devem se beneficiar do novo medicamento. Estima-se que possam economizar até 30% na conta mensal da farmácia.

Professor Pardal na mecânica de automóveis

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Estatística interessante sobre risco de pesquisas na Internet

Direto do blog de Dancho Danchev, um consultor independente em matéria de segurança e análise de risco na Internet.
Quais seriam as palavras-chave mais perigosas para pesquisa na Internet usando-se os mecanismos públicos de pesquisa hoje disponíveis?
"Screensavers", com um risco máximo de 59,1%, é a palavra-chave mais perigosa, de acordo com relatório recente da McAfee, intitulado "The Web’s Most Dangerous Search Terms".
Valendo-se de uma procura por 2.658 palavras-chave populares, individualizadas, e por 413.368 frases dentro de URL's, os pesquisadores da
McAfee concluiram que expressões e qualquer coisa que inclua free tem o maior percentual de expor os usuários a risco de sites mal intencionados e fraudulentos . A pesquisa informa que a categoria mais a salvo de risco é aquela que contém termos realacionados com saúde.
Vejam mais alguns dados.
• As categorias com o perfil de maior risco são a expressões contendo letras de músicas (26,3%) e as frases contendo a expressão
free (21,3%).
• As categorias que mostraram um perfil mais a salvo de riscos foram aquelas relacionadas com pesquisas sobre saúde e pesquisas sobre a recente crise econômica. O risco máximo contido em uma única página relacionada com economia foi 3,5% e somente 0,5% de risco considerando-se todos os resultados da pesquisa sobre crise econômica. analogamente, quando se trata de pesquisas sobre assuntos relacionados com saúde, o risco da pior página foi 4,0% e 0,4% quando considerado o risco envolvendo todas a pesquisa realizada.

A maçã

Essa é uma história verídica acontecida na Universidade de Chicago.
Na Universidade de Chicago “Divinity School”, em cada ano, eles têm o que chamam de Dia Batista.
Nesse dia cada um deve trazer um prato de comida e há um pic-nic no gramado.
Sempre, no Dia Batista, a escola convida uma das grandes mentes da literatura no meio educacional teológico para dar uma palestra.
Num ano eles convidaram o Dr. Paul Tillich.
Dr. Tillich
falou durante 2 horas e meia, provando que a ressurreição de Jesus era falsa. Ele questionava estudiosos e livros e concluiu que, a partir do momento que não havia provas históricas da ressurreição, a tradição religiosa da igreja caía por terra, porque era baseada num relacionamento com um Jesus que havia ressurgido, mas de fato, Ele nunca havia ressurgido literalmente dos mortos.
Quando concluiu sua teoria, ele perguntou se havia alguma pergunta.
Depois de uns 30 segundos, um senhor negro de cabelos brancos se levantou no fundo do auditório.
Dr. Tillich, eu tenho uma pergunta” ele disse enquanto todos os olhos se voltavam para ele. Ele colocou a mão na sua sacola, pegou uma maçã e começou a comer. Dr. Tillich... Crunch, Munch... Minha pergunta é uma questão muito simples... Crunch, Munch... Eu nunca li tantos livros como o senhor leu... Crunch, Munch... E também não posso recitar as escrituras no original grego... Crunch, Munch... Eu não sei nada sobre Niebuhr e Heidegger... Crunch, Munch... E ele acabou de comer a maçã. Mas tudo o que eu gostaria de saber é: essa maçã que eu acabei de comer... Estava doce ou azeda?”
Dr. Tillich parou por um momento e respondeu com todo o estilo de um estudioso: “Eu não tenho possibilidades de responder essa questão, pois eu não provei a sua maçã.”
O senhor de cabelos brancos jogou o que restou da maçã dentro do saco de papel, olhou para o Dr. Tillich e disse calmamente: “O senhor também nunca provou do meu Jesus. Como pode afirmar o que está dizendo?”
Mais de 1000 pessoas que estavam assistindo não puderam se conter. O auditório se ergueu em aplausos.
Dr. Tillich agradeceu a plateia e rapidamente deixou o palco.
Você já provou Jesus????
“Prove e veja que o Senhor é bom. Feliz do homem que Nele se refugia.” (Salmo 34:8)
Que Deus te proteja em nome de Jesus!!!

quarta-feira, 27 de maio de 2009

A dieta dos franceses

Quem sugere é o Dr. Will Clower, autor de A não-dieta dos franceses, lançado recentemente pela editora Campus.
O médico neurofisiologista desenvolveu, durante sua estada de dois anos no Institute of Cognitive Science, em Lyon, na França, um plano de 10 etapas para nunca mais fazer dieta e, ainda assim, emagrecer com saúde, como os franceses.
"Descobri que os franceses violam todas as regras alimentares que estipulamos para nós. E, apesar de seus cremes, queijos, manteigas e pães, a taxa de obesidade na França é de apenas 11,3% da população, segundo pesquisa realizada em 2005 pela Internacional Obesity Task Force. O programa de emagrecimento saudável é baseado em quatro grandes princípios básicos: comer alimentos de verdade, aprender a comer, reduzir a quantidade de comida e ser ativo, sem necessariamente se exercitar", explica no livro.
"Em uma volta pelo supermercado fiquei impressionado com os laticínios. Onde estavam os produtos light? "
Segundo o médico, estamos inundados de alimentos artificiais - açúcares sintéticos, gorduras sintéticas e produtos alimentícios artificiais. Falta-nos reaprender o que é comida de verdade, já que é a ingestão dela que proporciona ao corpo a nutrição na forma de que ele necessita. Clower afirma que em vez de estimular a ingestão de novas substâncias químicas para enganar o organismo, o programa mostra porque alimentos de verdade funcionam em favor do corpo.
"Temos que reaprender o que é comida de verdade. Alimentos de verdade são os produtos naturais, que podem ser encontrados em um texto de biologia e que normalmente fazem parte da cadeia alimentar. Refrigerantes não dão em árvore, margarina é uma invenção, e os corantes, conservantes e estabilizantes que aumentam a vida do produto não foram feitos para o nosso corpo", defende.
Em sua observação dos costumes alimentares franceses, o médico descobriu que os franceses não comem alimentos processados, não evitam gorduras, chocolates e nem carboidratos, não tomam suplementos alimentares, não se abstêm do vinho no almoço e no jantar e não comem com pressa. Ao adotar os hábitos franceses, ele e a mulher emagreceram onze e cinco quilos, respectivamente.
- Em uma volta pelo supermercado fiquei impressionado com os laticínios - fileiras e fileiras de queijos, uma geladeira inteira só pra iogurtes e queijos frescos..
Onde estavam os produtos light?
Entre outras dicas, Clower prescreve uma limpa na despensa e na geladeira, com o auxílio de que se deve ter em casa , fala sobre os benefícios da cerveja e do vinho, com moderação, é claro, da importância de se passar mais tempo à mesa, usufruindo do sabor da comida e de como isso auxilia a diminuir o tamanho das porções, e da necessidade de se manter ativo.
Os resultados, garante ele, surgem em seguida.
Plano de 10 etapas para nunca mais fazer dieta!!!!
1 - Comer devagar. Comer muito rápido faz comer mais. O estômago demora cerca de 20 minutos para mandar um sinal para o cérebro. Comendo devagar, o cérebro tem tempo de receber a mensagem de que seu corpo está satisfeito.
2 - Garfadas menores. O paladar está na superfície da língua. Se a sua boca está cheia de comida, você nem sente o gosto.
3 - Concentre-se na comida. Comer em frente à TV ou no carro faz o momento se tornar irrelevante. A falta de atenção faz com que se coma demais.
4 - Apóie o garfo no prato. Se ainda tem comida na sua boca, coloque o garfo no prato. Não o encha novamente até que tenha engolido.
5 - Sirva a comida em pratos pequenos. Isso resolve dois problemas de uma só vez: o de lavar a louça e o fato de você comer com os olhos.
6 - Comida sem gordura engorda. Comidas sem gordura não satisfazem e contêm mais açúcares.
7 - Se não for comida, não coma. Nosso corpo sabe o que é comida de verdade: carnes, frutas, verduras. Invenções como coca-cola causam problemas de saúde e de sobrepeso.
8 - Coma em etapas. Coma a salada primeiro. Isso ajuda a ganhar tempo à mesa e previne que você coma rápido e em grande quantidade.
9 - Gordura é necessária na dieta. Seu corpo e cérebro necessitam de gordura para serem saudáveis. Você come uma quantia normal de gordura quando come alimentos de verdade, como manteiga, azeite, ovos, castanhas e queijos.
10 - Alta qualidade da comida leva a comer menos quantidade.
Alimentos que se deve ter em casa
Peixes (salmão, sardinha, atum)
Grãos (granola, aveia, arroz)
Hortaliças (feijões, cebola, batata, abóbora, tomate)
Óleos e vinagres (azeite de oliva, óleo 100% vegetal, vinagre)
Produtos de padaria (farinha, ervas, temperos, açúcar branco ou mascavo, pimenta, sal)
Lanches (frutas desidratadas, biscoitos não-hidrogenados, nozes, azeitona)
Condimentos (mostarda, maionese de verdade)
Lacticínios (manteiga, queijo, ovos, leite, iogurte)
Bebidas (café, cerveja, suco de fruta, chá, água, vinho)
O QUE ACONTECE QUANDO VOCÊ ACABA DE BEBER UM REFRIGERANTE - Base 1 lata padrão
Primeiros 10 minutos: 10 colheres de chá de açúcar batem no seu corpo, 100% do recomendado diariamente. Você não vomita imediatamente pelo doce extremo, porque o ácido fosfórico corta o gosto.
20 minutos: O nível de açúcar em seu sangue estoura, forçando um jorro de insulina. O fígado responde transformando todo o açúcar que recebe em gordura. (É muito para este momento em particular)
40 minutos: A absorção de cafeína está completa. Suas pupilas dilatam, a pressão sanguínea sobe, o fígado responde bombeando mais açúcar na corrente. Os receptores de adenosina no cérebro são bloqueados para evitar tonteiras.
45 minutos: O corpo aumenta a produção de dopamina, estimulando oscentros de prazer do corpo. (Fisicamente, funciona como com a heroína).
50 minutos: O ácido fosfórico empurra cálcio, magnésio e zinco para o intestino grosso, aumentando o metabolismo. As altas doses de açúcar e outros adoçantes aumentam a excreção de cálcio na urina.
60 minutos: As propriedades diuréticas da cafeína entram em ação. Você urina. Agora é garantido que porá para fora cálcio, magnésio e zinco, os quais seus ossos precisariam. Conforme a onda abaixa você sofrerá um choque de açúcar. Ficará irritadiço. Você já terá posto para fora tudo que estava no refrigerante, mas não sem antes ter posto para fora, junto, coisas das quais farão falta ao seu organismo. Pense nisso antes de beber refrigerantes. Se não puder evitá-los, modere sua ingestão! Prefira sucos naturais!!! Em sendo possível, dê preferência por aqueles em que se vêem as frutas (de boa procedência) sendo preparadas. Seu corpo agradece!
Esta não é uma campanha para prejudicar a venda deste ou daquele refrigerante, mas sim, uma Campanha pela Saúde; sua e do seu bolso, que deixará de comprar muitos remédios...

Vale anuncia encerramento do programa de recompra de ações

Rio de Janeiro, 27 de maio de 2009 - A Vale S.A. (Vale) informa que seu Conselho de Administração aprovou, a partir desta data, o encerramento do programa de recompra de ações de emissão da Vale aprovado em 16 de outubro de 2008.
O limite do programa de recompra de ações de emissão da Vale era de 69.944.380 ações ordinárias e 169.210.249 ações preferenciais classe "A", correspondentes respectivamente a 5,5% e 8,5% do número total de ações de cada classe em circulação ("free float") na época do anúncio.
Durante a vigência do programa a Vale adquiriu 18.415.859 ações ordinárias e 47.284.800 ações preferenciais classe "A", correspondentes respectivamente a 1,5% e 2,4% do número total de ações de cada classe em circulação ("free float") na data do lançamento.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Alterações na economia mundial, a longo prazo?

Em matéria de Giulia Santos Camillo, publicada pela InfoMoney, a articulista trata de alterações possíveis na economia mundial por conta de queda no PIB potencial dos diferentes países.
No artigo o
professor Fábio Kanczuk, da Faculdade de Economia e Administração da USP, tece considerações sobre PIB potencial, o que é, como pode ser calculado.
Também é feito uma digressão sobre como ficaria o PIB potencial dos Estados Unidos e do Brasil.
Abordagem sobre como a crise atual pode afetar, ou não o PIB potencial, é uma das considerações do professor Kanczuk.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Vale confirma descoberta de hidrocarbonetos

Comunicado da Cia. Vale do Rio Doce.
Rio de Janeiro, 11 de maio de 2009 - A Companhia Vale do Rio Doce (Vale) informa que sua primeira descoberta de hidrocarbonetos foi confirmada pelo teste de formação realizado no poço 1-REPF-3D-SPS, do prospecto Panoramix, perfurado em águas rasas no bloco BM-S-48, na Bacia de Santos, a 185 km da costa do estado de São Paulo.
O consórcio que detém a concessão do bloco é formado pela Vale, com participação de 12,5%; Repsol, a operadora do consórcio com 40%; Petrobras com 35%; e Woodside com 12,5%.
A descoberta de Panoramix representa o primeiro caso de sucesso exploratório da Vale, que vem investindo em consórcios para exploração de gás natural nas bacias sedimentares brasileiras.
Conforme anunciado pela empresa operadora do consórcio, o teste realizado nos reservatórios do Santoniano Superior, encontrados entre 4.410 e 4.480 metros de profundidade, atingiu uma vazão de 378.600 m3/dia de gás natural e de 1.570 barris/dia de condensado.
O poço ainda revelou a existência de gás em reservatórios do Santoniano Inferior e óleo em reservatórios do Campaniano Inferior. Novas atividades exploratórias deverão ser realizadas na área do prospecto Panoramix, de forma a avaliar a extensão e o volume dessas descobertas.
A atividade de exploração desenvolvida pela Vale está alinhada com a estratégia de diversificar e otimizar a nossa matriz energética, utilizando carvão térmico, combustíveis renováveis e gás natural. O portfólio de exploração da Vale compõe-se atualmente de participações minoritárias em consórcios que detém 16 concessões nas bacias do Espírito Santo, Pará-Maranhão, Parnaíba e Santos.

A história de Logan

video

Humor do dia - Coisas da 3ª idade

Primeira
Duas senhoras idosas estavam tomando o café da manhã num restaurante.
Ethel notou alguma coisa engraçada na orelha de Mabel e disse:
- Mabel, você sabe que está com um supositório na sua orelha esquerda???
Mabel respondeu:
- Eu tenho um supositório na minha orelha??
Ela o puxou, olhou para ele e então disse:
- Ethel, estou feliz que você tenha visto... agora eu acho que sei onde encontrar meu aparelho auditivo...
Segunda
Uma velhota, durante a missa, inclina-se e diz ao ouvido do seu marido:
- Acabo de soltar um pum silencioso. Que achas que devo fazer?
O velho responde?
- Agora nada. Mas quando sairmos vamos comprar pilhas novas para o teu aparelho auditivo.
Terceira
Um casal idoso estava num cruzeiro e o tempo estava tempestuoso.. Eles estavam sentados na traseira do navio, olhando a lua, quando uma onda veio e carregou a velha senhora. Procuraram por ela durante dias, mas não conseguiram encontrá-la.
O capitão enviou o velho senhor para terra, com a promessa de que o notificaria assim que encontrasse alguma coisa.
Três semanas se passaram e finalmente ele recebeu um fax do navio. Ele leu:
"Senhor: lamento informar que encontramos o corpo de sua esposa no fundo do mar. Nós a içamos para o deque e, presa a ela, havia uma ostra. Dentro da ostra havia uma pérola que deve valer $50.000 dólares. Por favor,diga-nos o que fazer."
O velho homem respondeu:
"Mande-me a pérola e atire de novo a isca."
Quarta
O médico atende o paciente idoso e milionário, que estava usando um revolucionário aparelho de audição e pergunta:
- E aí, seu Almeida, está gostando do aparelho?
- É muito bom! — respondeu o velhinho.
- E a família gostou? — pergunta o médico.
- Não contei para ninguém ainda... Mas já mudei meu testamento três vezes!
Quinta
Uma cerimônia funerária estava sendo realizada por uma mulher que havia acabado de falecer. Ao final da cerimônia, os carregadores estavam levando o caixão para fora, quando, acidentalmente, bateram numa parede, deixando o caixão cair. Eles escutaram um fraco lamento. Abriram o caixão e descobriram que a mulher ainda estava viva! Ela viveu por mais dez anos e, então, morreu.
Mais uma vez uma cerimônia foi realizada e, ao final dela, os carregadores estavam novamente levando o caixão. Quando eles se aproximaram da porta, o marido gritou:
"Cuidado com a parede!!!!!"

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Sobre Irena Sendler

Recebi de grande Companheiro em Rotary um breve relato sobre Irena Sendler, que resolvi postar aqui. A quem interessar, um pouco de História. O texto é uma tradução do espanhol feita por Manuel Franco del Castillo.
A mãe dos meninos do Holocausto
Enquanto a figura de OSCAR SCHINDLER era aclamada por meio mundo, graças ao filme de Steven Spielberg, ganhador de 7 Oscars em 1993, narrando a vida desse industrial que evitou a morte de 1.000 judeus nos campos de concentração, IRENA SENDLER era uma heroina desconhecida fora da Polônia e apenas reconhecida no seu pais por alguns historiadores, já que os anos de obscurantismo comunista apagaram a sua façanha dos livros de historia oficiais.
Por outro lado, ela nunca contou a ninguém nada da sua vida durante aqueles anos.
Em 1999 a sua história começou a ser conhecida, graças a um grupo de alunos de um Instituto do Kansas-EUA, que realizou um trabalho sobre os heróis do Holocausto. Na investigação deram com poucas referências sobre Irena e só existia um dado surpreendente: tinha salvado a vida de 2.500 meninos.
Como é possível que só existisse essa informação sobre uma pessoa assim?
Mas a maior surpresa chegou quando após buscar o lugar da tumba de Irena, descobriram que não existia porque ela ainda vivia, e de fato ainda vive.
Hoje é uma anciã de 97 anos que reside num Asilo do centro de Varsóvia num quarto onde nunca faltam flores e cartões de agradecimento do mundo inteiro.
Quando a Alemanha invadiu o pais em 1939, Irena era enfermeira no Departamento de Bem-estar Social de Varsóvia, no qual cuidava das salas de jantar comunitárias da cidade. Em 1942 os nazistas criaram um “gueto” em Varsóvia e Irena, horrorizada pelas condições como se vivia naquele lugar uniu-se ao “Conselho para Ajuda aos Judeus”. Conseguiu identificações da oficina sanitária, sendo que uma das tarefas era a luta contra as doenças contagiosas.
Como os alemães invasores tinham medo de que se desencadeasse uma epidemia de tifo, aceitavam que os poloneses controlassem o lugar.
Logo entrou em contato com famílias oferecendo levar os filhos com ela para fora do Gueto.Era terrível: tinha de convencer os pais de que lhe entregassem seus filhos e eles lhe perguntavam: Pode prometer que meu filho viverá?
Como poderia prometer se nem sabia se poderia sair com eles do Gueto?
E a única coisa certa era que os meninos morreriam se permanecessem ali.
Mães e avós não queriam separar-se deles. Irena as entendia perfeitamente: o momento da separação era o mais difícil. Algumas vezes, quando Irena ou suas companheiras tornavam a visitar as famílias para tentar fazê-las mudar de idéia, todos tinham sido levados aos campos de extermínio. Cada vez que isso acontecia, ela lutava com mais força para salvar a meninada. Começou a tirá-los em ambulâncias como vitimas de tifo, mas logo se valeu de tudo o que estivesse ao seu alcance: cestos de lixo, caixas de ferramentas, carregamentos de mercadorias, sacos de batatas, ataúdes... Nas suas mãos, qualquer coisa se transformava numa via de escape.
Conseguiu recrutar ao menos uma pessoa de cada um dos dez centros do Departamento de Bem-estar Social. Com a ajuda dessas pessoas elaborou centros de documentos falsos, com assinaturas falsificadas, dando identidade temporária aos meninos judeus.
Irena vivia os tempos da guerra pensando nos tempos da paz. Por isso não se cansava manter com vida esses meninos. Queria que um dia pudessem recuperar seus verdadeiros nomes, sua identidade, suas histórias pessoais, suas famílias. Foi quando inventou um arquivo que registrava os nomes dos meninos e as suas novas identidades. Anotava os dados em pedaços pequenos de papel que enterrava, dentro de potes de conserva, debaixo de uma árvore de maçãs, no jardim do seu vizinho. Guardou, sem que ninguém suspeitasse, o passado de 2.500 meninos, até que os nazistas foram embora.
Um dia, os nazistas souberam das suas atividades. Em 20 de Outubro de 1943, Irena foi detida pela Gestapo e levada a prisão de Pawiak onde foi brutalmente torturada. Num colchão de palha da sua cela, encontrou uma estampa de Jesus Cristo. E ficou com ela até 1979, quando doou-a a João Paulo II.
Irena era a única que sabia os nomes e onde se encontravam as famílias que albergaram aos meninos judeus; suportou a tortura e se recusou a trair seus colaboradores ou a qualquer dos meninos ocultos. Quebraram-lhe os pés e as pernas, alem de sofrer inúmeras torturas. Mas ninguém conseguiu romper a sua vontade.
Foi condenada à morte, mas sentença que nunca chegou a se cumprir porque a caminho do lugar da execução, o soldado a deixou escapar. A resistência o tinha subornado porque não queriam que Irena morresse com o segredo da localização dos meninos. Oficialmente ela constava nas listas dos executados. A partir de então, continuou trabalhando, mas com uma identidade falsa.
No final da guerra, ela mesmo desenterrou os vidros de conserva e fez uso das anotações para encontrar aos 2.500 meninos que colocou com famílias adotivas.
Ajuntou-as aos seus parentes espalhados pela Europa, mas a maioria tinha perdido as suas famílias nos campos de concentração nazistas.
Os meninos só a conheciam pelo apelido: JOLANTA.
Anos mais tarde, quando a sua história saiu num jornal junto com fotos suas, da época, diversas pessoas começaram a chamá-la para dizer: “Lembro de seu rosto... sou um daqueles meninos, lhe devo a minha vida, meu futuro, e gostaria de vê-la!”
Irena tinha no seu quarto fotos com alguns daqueles meninos sobreviventes ou com filhos deles.
Seu pai, um médico que faleceu de tifo quando ela ainda era pequena, lhe fez memorizar o seguinte: “AJUDE SEMPRE A QUEM ESTIVER SE AFOGANDO, SEM LEVAR EM CONTA A SUA RELIGIAO OU NACIONALIDADE. AJUDAR CADA DIA ALGUEM TEM DE SER UMA NECESSIDADE QUE SAIA DO CORACAO”.
Irena vive anos numa cadeira de rodas, por causa das lesões causadas pelas torturas sofridas pela Gestapo. Não se considera uma heroína. Nunca reivindicou crédito algum pelas suas ações.
“Poderia ter feito mais”, responde sempre. “Este lamento me acompanhará ate o dia de minha morte!”
“NAO SE PLANTAM SEMENTES DE COMIDA. PLANTAM-SE SEMENTES DE BONDADE. TRATEM DE FAZER UM CIRCULO DE BONDADE, ESTE OS RODEARAO E FARAO CRESCER MAIS E MAIS”. (Irena Sendler)

E tautologia, sabem o que é?

É o termo usado para definir um dos vícios de linguagem. Consiste na repetição de uma ideia, de maneira viciada, com palavras diferentes, mas com o mesmo sentido.
O exemplo clássico é o famoso 'subir para cima' ou o 'descer para baixo'. Mas há outros, como pode ver na lista a seguir:
- elo (de ligação)
- acabamento (final)
- certeza (absoluta)
- quantia (exata)
- nos dias 8, 9 e 10(, inclusive)
- juntamente (com)
- expressamente (proibido)
- em duas metades (iguais)
- sintomas (indicativos)
- há anos (atrás)
- vereador (da cidade)
- outra (alternativa)
- detalhes (minuciosos)
- a razão é (porque)
- anexo (junto) à carta
- de sua (livre) escolha
- superávit (positivo)
- (todos) foram unânimes
- conviver (junto)
- fato (real)
- encarar (de frente)
- multidão (de pessoas)
- amanhecer (o dia)
- criação (nova)
- retornar (de novo)
- empréstimo (temporário)
- surpresa (inesperada)
- escolha (opcional)
- planejar (antecipadamente)
- abertura (inaugural)
- (continua) a permanecer
- a (última) versão definitiva
- (possivelmente) poderá ocorrer
- comparecer (em pessoa)
- gritar (bem alto)
- propriedade (característica)
- (demasiadamente) excessivo
- a seu critério (pessoal_
- exceder (em muito)
Note que todas essas repetições são dispensáveis.
Por exemplo, 'surpresa inesperada'. Existe alguma surpresa esperada? É óbvio que não. Devemos evitar o uso das repetições desnecessárias. Fique atento às expressões que utiliza no seu dia-a-dia.
Gostou? Isto também é cultura!!!!

Você sabe o que é um palíndromo?

Não sabe? que vergonha!!!!!
Um palíndromo é uma palavra, ou um número, que se lê da mesma maneira nos dois sentidos, normalmente, da esquerda para a direita e ao contrário.
Exemplos: OVO, OSSO, RADAR. O mesmo se aplica às frases, embora a coincidência seja tanto mais difícil de conseguir quanto maior a frase; é o caso do conhecido:
SOCORRAM-ME, SUBI NO ONIBUS EM MARROCOS.
Diante do interesse pelo assunto (confesse, já leu a frase ao contrário), tomei a liberdade de seleccionar alguns dos melhores palíndromos da língua de Camões...
Se souber de algum, acrescente e passe adiante.
ANOTARAM A DATA DA MARATONA
ASSIM A AIA IA A MISSA
A DIVA EM ARGEL ALEGRA-ME A VIDA
A DROGA DA GORDA
A MALA NADA NA LAMA
A TORRE DA DERROTA
LUZA ROCELINA, A NAMORADA DO MANUEL, LEU NA MODA DA ROMANA: ANIL É COR AZUL
O CÉU SUECO
O GALO AMA O LAGO
O LOBO AMA O BOLO
O ROMANO ACATA AMORES A DAMAS AMADAS E ROMA ATACA O NAMORO
RIR, O BREVE VERBO RIR
A CARA RAJADA DA JARARACA
SAIRAM O TIO E OITO MARIAS
ZÉ DE LIMA RUA LAURA MIL E DEZ
Viram quão profundo! Isto é cultura!!!!!

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Por que as mensagens de texto são limitadas a 160 caracteres?

Mark Milian, na sessão de blogs do Los Angeles Times Online publicou um post interessante sobre a razão de as mensagens de texto estarem limitadas 160 caracteres, das quais retirei algumas coisas interessantes.
Um belo dia, Friedhelm Hillebrand estava sozinho em uma sala de sua casa em Bonn, na Alemanha, sentado em frente à sua máquina de datilografia, teclando frases ao acaso em uma folha de papel.
À medida que avançava, ele contava o número de letras, números, pontuações e espaços existentes na página. O que aparecia em uma linha ou duas, estava sempre próximo de 160 caracteres.
Aquilo tornou-se o número mágico de Hillebrand e passou a ser considerado o padrão para uma das mais populares formas de comunicação digital dos dias de hoje: a mensagem de texto. O que Hillebrand concluiu, em 1985, quando tinha 45 anos, mostrou-se, segundo ele, "perfeitamente suficiente" para traduzir uma mensagem.
Os pesquisadores em comunicações e uma dezena de outros pesquisadores desenvolveram planos e mais planos para padronizar uma tecnologia que permitisse os telefones celulares transmitir e mostrar mensagens de texto. Devido às limitações de largura de banda de transmissão das redes sem fio (na época muito usadas nas rádio comunicações de veículos), cada mensagem deveria ser o mais curta possível
Devido a seu experimento com a máquina de datilografia, Hillebrand argumentou com um amigo que 160 caracteres ocupava espaço suficiente para comunicar a maioria dos pensamentos. "Meu amigo me disse que isso seria impossível para os mercados de massa", conta Hillebrand. "Eu era mais otimista", diz.
Seu otimismo era claramente marcante.
As mensagens de texto passaram a ser a forma predominante das comunicações móveis em todo o mundo. Os americanos estão enviando mais mensagens de texto do que fazendo chamadas de voz em seus telefones celulares, de acordo com um relatório da Nielsen Mobile emitido esta ano.
Os usuários de serviços móveis, nos EUA, enviaram uma média de 357 mensagens de texto por mês no segundo quadrimestre de 2008, contra uma realização de 204 chamadas de voz, aponta o relatório.
Mensagens de texto tornaram-se uma prioridade para as empresas de telecomunicações. Gigantes como a Verizon Wireless e AT&T cobram de 20 a 25 cents de dólar americano por mensagem, ou US$ 20 mensais, por uma quantidade de textos ilimitada. A Verizon tem 86 milhões de assinantes, enquanto no serviço sem fio da AT&T são 78,2 milhões.
E o Twitter, o meio de comunicação online de maior crescimento dentre as redes sociais, que está sendo adotado praticamente por todos que navegam na grande rede, sejam pessoas comuns, políticos, celebridades, ou empresas, tem seu próprio DNA em mensagens de texto. Para eliminar a necessidade de quebrar mensagens de texto de telefones celulares em múltiplas partes, os criadores do Twitter limitaram as mensagens de uma comunicação em 140 catracteres, conservando os 20 caracteres restantes para identificação do usuário.
E pensar que, em 1985, os criadores do Twitter deveriam estar brincando com carrinhos tipo Matchbox, enquanto Hillebrand fazia seus experimentos com uma máquina de datilografia. Coisas da tecnologia!
Fonte: Los Angeles Times Online

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Mas sobre a gripe A, ou gripe suína

ORIENTAÇÕES EM CASO SUSPEITO
FONE SAÚDE: 0800-610-1997
Hospitais de referência
AC
Hospital Geral das Clínicas de Rio Branco (Rio Branco)
AL
Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (Maceió)
AM
Fundação de Medicina Tropical (Manaus)
AP
Hospital de Clínicas Doutor Alberto Lima (Macapá)
BA
Hospital Otávio Mangabeira (Salvador)
CE
Hospital Universitário Walter Cantídio (Fortaleza)
Hospital São José de Doenças Infecciosas (Fortaleza)
DF
Hospital Regional da Asa Norte (Brasília)
ES
Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes (Vitória)
GO
Hospital de Doenças Tropicais (Goiania)
Hospital Materno Infantil (Goiania)
MA
Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (São Luiz)
MG
Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (Belo Horizonte)
MS
Santa Casa de Misericória de Campo Grande (Campo Grande)
MT
Pronto Socorro Municipal de Cuiabá (Cuiabá)
PA
Hospital Universitário João de Barros Barreto da Universidade Federal do Pará (Belém)
PB
Hospital Universitário Lauro Wanderley (João Pessoa)
PE
Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (Recife)
Instituto Materno Infantil de Pernambuco (Recife)
PE
Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela (Teresina)
PR
Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (Curitiba)
Hospital Universitário Regional do Norte do Paraná da Universidade Estadual de Londrina (Londrina)
Hospital Ministro Costa Cavalcanti (Foz do Iguaçu)
Hospital de Trabalhador da Secretaria Estadual de Saúde (Curitiba)
RJ
Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (Rio de Janeiro)
Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas (Rio de Janeiro)
RN
Hospital Gizelda Trigueiro (Natal)
Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Rondônia)
RR
Hospital Geral de Roraíma (Boa Vista)
RS
Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (Pelotas)
Hospital Nossa Senhora da Conceição (Porto Alegre)
Hospital de Clínicas de Porto Alegre, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Porto Alegre)
Hospital Universitário de Santa Maria (Santa Maria)
Hospital Geral de Caxias do Sul (Caxias do Sul)
Associação Hospitalar Beneficiente São Vicente de Paulo (Passo Fundo)
Hospital Santa Casa de Uruguaiana (Uruguaiana)
Associação de Caridade Santa Casa do Rio Grande (Rio Grande)
SC
Hospital Nereu Ramos (Florianopolis)
Hospital Infantil Joana de Gusmão (Florianopolis)
Hospital Regional Lenoir Vargas Ferreira (Chapecó)
SE
Hospital de Urgência de Sergipe Governador João Alves Filho (Aracajú)
SP
Hospital das Clínicas da Unicamp (Campinas)
Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP (Ribeirão Preto)
Hospital de Base da Fundação Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (São José do Rio Preto)
Hospital Universitario da Universidade de São Paulo (São Paulo)
Hospital São Paulo da Universidade Federal de São Paulo (São Paulo)
Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo (São Paulo)
Hospital de Infectologia Emilio Ribas (São Paulo)
Hospital Estadual de Bauru (Bauru)
Hospital Guilherme Álvaro (Santos)
TO
Hospital Geral de Palmas Doutor Francisco Aires (Palmas)
Fonte: Ministério da Saúde

A gripe dos porcos e a mentira dos homens

Apresento a seguir artigo atribuído ao jornalista mineiro Mauro Santayana, sobre a gripe suína, ou gripe A, como foi rebatizada pela OMS. Recebí por email. Desconheço a autenticidade, embora a fonte que me enviou seja confiável.
A ser verdade é que o relatado, é mais um crime que uma empresa multinacional comete contra as populações do mundo, sempre a partir de uma país de terceiro mundo. Quando serão tomadas providências adequadas, de interesse destas populações, pelos organismos internacionais?

O governo do México e a agroindústria procuram desmentir o óbvio: a gripe que assusta o mundo se iniciou em La Glória, distrito de Perote, a 10 quilômetros da criação de porcos das Granjas Carroll, subsidiária de poderosa multinacional do ramo, a Smithfield Foods. La Glória é uma das mais pobres povoações do país. O primeiro a contrair a enfermidade (o paciente zero, de acordo com a linguagem médica) foi o menino Edgar Hernández, de 4 anos, que conseguiu sobreviver depois de medicado. Provavelmente seu organismo tenha servido de plataforma para a combinação genética que tornaria o vírus mais poderoso. Uma gripe estranha já havia sido constatada em La Glória, em dezembro do ano passado e, em março, passou a disseminar-se rapidamente.
Os moradores de La Glória – alguns deles trabalhadores da Carroll – não têm dúvida: a fonte da enfermidade é o criatório de porcos, que produz quase 1 milhão de animais por ano. Segundo as informações, as fezes e a urina dos animais são depositadas em tanques de oxidação, a céu aberto, sobre cuja superfície densas nuvens de moscas se reproduzem. A indústria tornou infernal a vida dos moradores de La Glória, que, situados em nível inferior na encosta da serra, recebem as águas poluídas nos riachos e lençóis freáticos. A contaminação do subsolo pelos tanques já foi denunciada às autoridades, por uma agente municipal de saúde, Bertha Crisóstomo, ainda em fevereiro, quando começaram a surgir casos de gripe e diarreia na comunidade, mas de nada adiantou. Segundo o deputado Atanásio Duran, as Granjas Carroll haviam sido expulsas da Virgínia e da Carolina do Norte por danos ambientais. Dentro das normas do Nafta, puderam transferir-se, em 1994, para Perote, com o apoio do governo mexicano. Pelo tratado, a empresa norte-americana não está sujeita ao controle das autoridades do país, nem às suas leis - somente às leis do país de origem.
O episódio conduz a algumas reflexões sobre o sistema agroindustrial moderno. Como a finalidade das empresas é o lucro, todas as suas operações, incluídas as de natureza política, se subordinam a essa razão. A concentração da indústria de alimentos, com a criação e o abate de animais em grande escala, mesmo quando acompanhada de todos os cuidados, é ameaça permanente aos trabalhadores e aos vizinhos. A criação em pequena escala – no nível da exploração familiar – tem, entre outras vantagens, a de limitar os possíveis casos de enfermidade, com a eliminação imediata do foco.
Os animais são alimentados com rações que levam 17% de farinha de peixe, conforme a Organic Consumers Association, dos Estados Unidos, embora os porcos não comam peixe na natureza. De acordo com outras fontes, os animais são vacinados, tratados preventivamente com antibióticos e antivirais, submetidos a hormônios e mutações genéticas, o que também explica sua resistência a alguns agentes infecciosos. Assim sendo, tornam-se hospedeiros que podem transmitir os vírus aos seres humanos, como ocorreu no México, segundo supõem as autoridades sanitárias.
As Granjas Carroll – como ocorre em outras latitudes e com empresas de todos os tipos – mantêm uma fundação social na região, em que aplicam parcela ínfima de seus lucros. É o imposto da hipocrisia. Assim, esses capitalistas engambelam a opinião pública e neutralizam a oposição da comunidade. A ação social deve ser do Estado, custeada com os recursos tributários justos. O que tem ocorrido é o contrário disso: os estados subsidiam grandes empresas, e estas atribuem migalhas à mal chamada “ação social”. Quando acusadas de violar as leis, as empresas se justificam – como ocorre, no Brasil, com a Daslu – argumentando que custeiam os estudos de uma dezena de crianças, distribuem uma centena de cestas básicas e mantêm uma quadra de vôlei nas vizinhanças.
O governo mexicano pressionou, e a Organização Mundial de Saúde concordou em mudar o nome da gripe suína para Gripe-A. Ao retirar o adjetivo que identificava sua etiologia, ocultou a informação a que os povos têm direito. A doença foi diagnosticada em um menino de La Glória, ao lado das águas infectadas pelas Granjas Carroll, empresa norte-americana criadora de porcos, e no exame se encontrou a cepa da gripe suína. O resto, pelo que se sabe até agora, é o conluio entre o governo conservador do México e as Granjas Carroll – com a cumplicidade da OMS.

domingo, 3 de maio de 2009

O valor do sorriso

Estudo de universidade americana mostra que quem sorri mais tem menos chance de se divorciar. O estudo foi feito com antigos alunos da Universidade DePauw, no estado de Indiana.
Os pesquisadores examinaram fotografias dos alunos quando estudantes e deram notas para a expressão de seus rostos. Quanto mais feliz ou sorridente, melhor a nota.
Em seguida foram se informar sobre a situação marital deles, já na idade madura. Ficou claro que as pessoas com expressão sisuda, ou sem sorriso, se divorciaram em maior número.
Uma outra pesquisa feita pelo mesmo grupo revelou que moças sorridentes se casam mais cedo.
A conclusão é que a existência ou não de uma expressão sorridente nas fotos é uma indicação confiável sobre a personalidade da pessoa.

Sintomas provocados por carência de alimentos

Veja que interessante... A partir de uma certa idade, temos quase todos esses sintomas, provocados pela falta dos alimentos aqui mencionados.
1. DIFICULDADE DE PERDER PESO
O QUE ESTÁ FALTANDO: ácidos graxos essenciais e vitamina.
ONDE OBTER: semente de linhaça, cenoura e salmão - além de suplementos específicos.
2. RETENÇÃO DE LÍQUIDOS
O QUE ESTÁ FALTANDO: na verdade um desequilíbrio entre o potássio, fósforo e sódio.
ONDE OBTER: água de côco, azeitona, pêssego, ameixa, figo, amêndoa, nozes, acelga, coentro e os suplementos.
3. COMPULSÃO A DOCES
O QUE ESTÁ FALTANDO: cromo.
ONDE OBTER: cereais integrais, nozes, centeio, banana, espinafre,cenoura, mais suplementos.
4. CÂIMBRA, DOR DE CABEÇA
O QUE ESTÁ FALTANDO: potássio e magnésio
ONDE OBTER: banana, cevada, milho, manga, pêssego, acerola, laranja e água.
5. DESCONFORTO INTESTINAL, GASES, INCHAÇO ABDOMINAL
O QUE ESTÁ FALTANDO: lactobacilos vivos
ONDE OBTER: coalhada, iogurte, missô, yakult e similares.
6. MEMÓRIA RUIM
O QUE ESTÁ FALTANDO: acetil colina, inositol.
ONDE OBTER: lecitina de soja, gema de ovo, mais suplementos.
7. HIPOTIREOIDISMO (PROVOCA GANHO DE PESO SEM CAUSA APARENTE)
O QUE ESTÁ FALTANDO: iodo.
ONDE OBTER: algas marinhas, cenoura, óleo, pêra, abacaxi, peixes de água salgada e sal marinho.
8. CABELOS QUEBRADIÇOS E UNHAS FRACAS
O QUE ESTÁ FALTANDO: colágeno.
ONDE OBTER: peixes, ovos, carnes magras, gelatina mais suplementos.
9. FRAQUEZA, INDISPOSIÇÃO, MAL ESTAR
O QUE ESTÁ FALTANDO: vitaminas A, C, e E e ferro.
ONDE OBTER: verduras, frutas, carnes magras e suplementos.
10. COLESTEROL E TRIGLICERÍDEOS ALTOS
O QUE ESTÁ FALTANDO: Ômega 3 e 6.
ONDE OBTER: sardinha, salmão, abacate, azeite.

Meu canal de slides